Economia | Aumento do gás

Gás de cozinha é reajustado em 8,5%

De acordo com a metodologia em vigor, a Petrobras havia aplicado, este ano, duas reduções nos preços; percentual reajusta valor do botijão nas refinarias
06/11/2018
Alta acumulada do botijão em 2018 já chega a R$ 0,69, ou 2,8%

Brasília - A Petrobras informa que os preços do Gás Liquefeito de Petróleo de uso residencial (GLP-P13, ou gás de cozinha) serão reajustados a partir desta terça-feira, 6/11. O preço de venda, na média nacional, sem tributos, nas refinarias da companhia, será equivalente a R$ 25,07 para envase em botijão de 13 quilos. Com isso, acumulará alta de R$ 0,69, ou 2,8% desde janeiro, quando passou a ter reajustes trimestrais.

De acordo com a metodologia em vigor, a Petrobras havia aplicado, este ano, duas reduções nos preços, em janeiro e abril, e uma elevação, em julho. O novo preço representa um ajuste de +8,5%, ou R$ 1,97 em relação aos R$ 23,10 vigentes desde julho. A desvalorização do real frente ao dólar e as elevações nas cotações internacionais do GLP foram os principais fatores para a alta. A referência continua a ser a média dos preços do propano e butano comercializados no mercado europeu, acrescida da margem de 5%.

O objetivo da metodologia é suavizar os impactos derivados da transferência da volatilidade externa para os preços domésticos. O mecanismo concilia, de um lado, a necessidade de praticar preços para o GLP referenciados no mercado internacional e, de outro, a Resolução 4/2005 do Conselho Nacional de Política Energética que “reconhece como de interesse para a política energética nacional a comercialização, por produtor ou importador, de gás liquefeito de petróleo (GLP), destinado exclusivamente a uso doméstico em recipientes transportáveis de capacidade de até 13kg, a preços diferenciados e inferiores aos praticados para os demais usos ou acondicionados em recipientes de outras capacidades”.

Sindigás

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liqüefeito de Petróleo - Sindigás, divulgou nota logo após o anúncio da Petrobras: o Sindigás informa que as empresas distribuidoras associadas à entidade foram comunicadas na tarde de hoje pela Petrobras que o GLP para embalagens de até de 13 quilos ficará mais caro a partir da 0h do dia 6 de novembro.

O reajuste oscilará entre 8,2% e 9%, de acordo com o polo de suprimento. Pelos cálculos do Sindigás, o ajuste anunciado deixa o preço praticado pela Petrobras para as embalagens de até 13 quilos aproximadamente 29% abaixo do preço de paridade internacional. O valor do GLP empresarial está 52,4% acima do preço do GLP para embalagens até 13 quilos.

Mais

Pesquisa

De acordo com a última pesquisa realizada pela ANP no Maranhão, o preço médio do botijão de gás no estado varia de R$ 80,50 em Barra do Corda a R$ 56,82 em São José de Ribamar. Em São Luís o preço médio atingiu R$ 58,88. A pesquisa foi realizada no período de 28 de outubro a 3 de novembro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.