Economia | Desembolsos

BNDES empresta 13% a menos no acumulado no ano até setembro

Banco destacou, porém, que houve crescimento de 6% nas consultas e de 12% nos enquadramentos de operações
04/11/2018 às 07h00
BNDES empresta 13% a menos no acumulado no ano até setembro (Divulgação)

SÃO PAULO - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou 13% a menos em crédito entre janeiro e setembro de 2018, na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo balanço divulgado pelo banco estatal, o total de desembolsos nos nove primeiros meses do ano somou R$ 43,6 bilhões, ante R$ 49,9 bilhões nos três primeiros trimestres de 2017.

Já as aprovações de novos financiamentos totalizaram R$ 50 bilhões em nove meses, uma redução de 1% em relação ao ano passado. Mantida o ritmo atual, este será o 5º ano seguido de queda no volume de empréstimos concedidos pelo banco.

O BNDES destacou, porém, que houve crescimento nas duas primeiras etapas por que passam os pedidos de financiamento. No acumulado em nove meses, as consultas cresceram 6% e os enquadramentos de operações aumentaram 12% frente ao mesmo período de 2017.

"É importante destacar que há um processo de defasagem entre contratações e desembolsos e que, no último ano, tivemos um crescimento nas consultas, nos enquadramentos e nas aprovações. Portanto, essa expansão ainda se refletirá nos desembolsos até o fim de 2018", disse o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira.

Considerados os últimos 12 meses, as consultas, os enquadramentos e as aprovações de novos financiamentos cresceram, respectivamente, 3%, 6%, e 3%, enquanto os desembres que tiveram maior crescimento nas consultas por financiamento foram indústria (+34%) e infraestrutura (+11%).

Desembolsos por setores

De janeiro a setembro de 2018, as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) receberam R$ 21,7 bilhões em liberações do BNDES, o que representa 49,7% do total.

O setor de infraestrutura recebeu R$ 17,5 bilhões, ou 40,3% do total das liberações, seguido por agropecuária (21,5%), comércio e serviços (19,6%) e indústria (18,6%).

O presidente do BNDES, Dyogo Oliveira tem estimado que os desembolsos devem ficar entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões em 2018.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.