Cidades | Pressão

Médicos do estado ameaçam parar Governo negocia

Prestadores de serviços médicos às unidades de saúde estaduais estão com salários atrasados
Daniel Júnior / O Estado02/11/2018

Após a classe médica, que presta serviço às unidades de saúde estaduais, sinalizar a paralisação das suas atividades, em decorrência de atraso salarial, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria Estadual de Saúde, definiu na última quarta-feira (31), durante assembleia extraordinária da categoria, um cronograma de pagamento, conforme informou Abdon Murad, presidente do Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA). O Sindicato dos Médicos também foi um dos organizadores da assembleia que decidiria se os médicos iriam parar atividades.

“Por causa do atraso no pagamento dos salários, nos reunimos para decidirmos o que faríamos. Um representante da Secretaria Estadual de Saúde (SES) participou da assembleia extraordinária e definiu um cronograma de pagamento, que segue até dezembro. As atividades continuam normais e vamos aguardar o cumprimento do que foi acordado entre os médicos e o Governo do Estado”, afirmou Abdon Murad, presidente do CRM-MA.

Murad também informou que até o momento não há greve em vista. “Queríamos uma definição do cronograma dos meses em atraso, bem como a determinação de uma data limite para os futuros pagamentos, e fomos atendidos. Agora, é aguardar o cumprimento. Tem médicos que estão com dois meses de salário atrasado, depende de cada unidade”, explicou Abdon Murad, sobre a quantidade meses de salário em atraso.

O Estado fez contato com o Governo do Maranhão, para saber os motivos do atraso salarial dos médicos e como ficou definido o cronograma de pagamentos, mas até o fechamento desta página, nenhum posicionamento foi enviado.

SAIBA MAIS

Em reportagem publicada no dia 12 de junho deste ano, O Estado mostrou que médicos de diversas unidades de saúde administradas pelo Governo do Maranhão estavam com salários atrasados há quase quatro meses. A denúncia partiu da Associação dos Médicos do Socorrão I e II (AMESS), que abrange todo o Estado. De acordo com a instituição, profissionais do Hospital Regional de Matões do Norte, Hospital Presidente Dutra, Juvêncio Matos e Carlos Macieira, entre outras estão sem acesso aos seus vencimentos. Após a denúncia sobre o atraso no pagamento salarial dos médicos a Secretaria Estadual de Saúde começou a regularizar a situação no outro dia. Alguns profissionais já estavam há quatro meses sem receber os vencimentos.

Escândalo

A saúde no Maranhão começou a entrar em colapso após um esquema de corrupção que foi revelado pela Polícia Federal, no final do ano passado, em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU) no ano passado. Mais de R$ 18.345.815,03 em verbas provenientes do Governo Federal foram desviados.

De acordo com as investigações, os criminosos agiam em várias frentes. Entre elas, por meio de funcionários fantasmas. Cerca de 400 pessoas foram adicionadas em folhas de pagamento dos hospitais estaduais, sem prestar serviços algum.

Além de funcionários contratados pelos hospitais, que recebiam seus salários, ainda ganhavam um “extra”. Empresas de fachadas especializadas em serviços médicos (OSS) recebiam a verba para a saúde estadual e não realizavam nenhum tipo de serviços médicos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte