Geral | Mercado de trabalho

Jovens e mulheres negras são mais afetados pelo desemprego

Pesquisa, com base na PNAD Contínua, comparou taxa de desemprego geral com as taxas das Unidades da Federação e dos que procuram emprego; estudo foi divulgado ontem pelo Ipea
01/11/2018

BRASÍLIA - A vulnerabilidade das mulheres negras ao desemprego é 50% maior. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que a cada 1 ponto percentual a mais na taxa de desemprego, as mulheres negras sofrem, em média, aumento de 1,5 ponto percentual. Para as mulheres brancas, o reflexo é de 1,3 p.p. A análise utiliza dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) entre o primeiro trimestre de 2012 e o segundo trimestre de 2018. O estudo integra o Boletim Mercado de Trabalho nº 65, lançado ontem, 31, pelo Ipea.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte