Polícia | Caso Stênio

STF nega habeas corpus a culpado pela morte do delegado Stênio

Máximo Moura foi preso na capital paraense e condenado a mais de 29 anos por esse assassinato; crime ocorreu no dia 25 de maio de 1997
31/10/2018

SÃO LUÍS - O Supremo Tribunal Federal (STF) negou o pedido de habeas corpus (HC) de número 161.822, em que a defesa de Máximo Moura Lima pedia a suspensão da pena antes do trânsito em julgado. Máximo Moura foi condenado a 29 anos e 9 meses de cadeia pela participação do assassinato do delegado da Polícia Civil, Stênio José Mendonça, que ocorreu no dia 25 de maio de 1997, na Avenida Litorânea.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte