O Mundo | Política

Merkel nega que sua aposentadoria reduzirá influência da Alemanha

Ela não concorrerá a novo mandato após decepções nas urnas; os problemas de Merkel podem limitar a sua capacidade de liderança na União Europeia no momento em que o bloco está lidando com o Brexit
31/10/2018

BERLIM - A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel , negou ontem que a sua progressiva retirada política afetará a influência do país em negociações internacionais. No poder há 13 anos, a chefe do governo desistiu de concorrer em 2021 a outro mandato no cargo - ela já está no quarto consecutivo - depois de uma nova derrota eleitoral dos partidos que integram a sua aliança numa eleição regional em Hesse. Ela também não tentará ser novamente escolhida como chefe da União Democrata Cristã (CDU) no congresso anual da legenda em dezembro.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.