Estado Maior | COLUNA

Maranhão abaixo da linha

10/10/2018

A Consultoria Tendência trouxe números sobre a pobreza extrema no Brasil, e mais uma vez o Maranhão aparece no ranking dos dados ruins. Segundo mostrou o jornal Valor Econômico, a Tendência aponta o estado como o que mais cresceu em número de cidadãos que vivem com menos de R$ 85 por mês.
Os dados - levantados com base em pesquisas do IBGE - mostram que em 2015, 2016 e 2017, a extrema pobreza só cresceu no Maranhão. Em 2014, por exemplo, o índice era de 8,7%. Do ano seguinte até o último levantamento, este índice só cresceu, chegando a 12,2%.
O primeiro mandato da gestão comunista está perto do fim e um novo começará em janeiro. A parti dali, não haverá mais espaço para culpar governos passados pelos índices baixos no Maranhão.
A partir de janeiro, Flávio Dino terá de trabalhar muito para apresentar resultados melhores, mas dessa vez sem dinheiro do BNDES em caixa, com aumento da dívida do Maranhão pela quantidade de empréstimos contraídos, com uma folha de pagamento já dentro do limite de alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal, com rombo na Previdência e com um buraco nas finanças do estado de quase R$ 1 bilhão registrado ainda em 2017.
A tarefa de desenvolver o Maranhão não será nada fácil para Dino diante de tantos problemas causados pelo seu próprio governo. E agora sem ter para quem jogar a culpa.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte