Política | Fim de fake news

Justiça suspende propaganda de Flávio Dino inverídica sobre Iemas e hospitais

Coligação "Maranhão quer mais" provou que escolas com ensino profissionalizantes e hospitais macroregionais foram construídos na gestão de Roseana Sarney e, por isso, propaganda de Dino mente sobre sua adversária
28/09/2018 às 10h28
Justiça suspende propaganda de Flávio Dino inverídica sobre Iemas e hospitaisFake News difundido por Flávio Dino não pode mais ser veiculado (Reprodução)

A Justiça Eleitoral do Maranhão determinou que o candidato a reeleição, Flávio Dino (PCdoB), deixe de veicular propaganda em que afirma que construiu 26 Instituto Estadual de Educação,
Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMAs) e que a sua adversária, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) não. Para o juiz Alexandre Lopes, o comunista falta com a verdade ao fazer tal afirmação.

A coligação “Maranhão quer mais” de Roseana Sarney provou junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que Flávio Dino mente ao afirmar que construiu 26 Iemas e que a emedebista não fez qualquer escola profissionalizante. Os documentos mostram que durante a gestão de Roseana foram construídos os Cetecmas, que ao assumir o governo, Dino mudou o nome para Iema.

“Assim, quando o representante afirma que a candidata representante durante toda sua gestão não fez nenhum IEMA (Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maran ão–IEMA), quer levar a crer que não foi construído por ela nenhum centro estadual de capacitação tecnológica, o que se constata que é uma inverdade uma vez que funcionavam 13 (treze) Centros de Capacitação Tecnológica do Maranhão – CETECMAs e 06 (seis) estavam prestes a funcionar, sendo que estes centros passaram da estrutura da Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia – SECTEC para a estrutura da Universidade Virtual do Estado do Maranhão – UNIVIMA, esta última renomeada pelo representado para IEMA”, disse o magistrado.

Além desta mentira, a Justiça Eleitoral também determinou que Dino pare de veicular propaganda em que diz ter construído oito hospitais macroregionais e Roseana, não. Neste caso, o juiz Alexandre Lopes entendeu que conteúdo da propaganda do comunista é inverídico.

“É de conhecimento geral que os hospitais mencionados na propaganda contestada tiveram sua edificação iniciada ainda no governo anterior, alguns dos quais foram entregues à nova gestão em fase avançada de construção e próximos à conclusão, sendo despiscienda a análise de quaisquer documentos para se alcançar esse entendimento. Dito isso, reputo que a divulgação da informação de que a candidata Representante teria passado longo tempo à frente da Chefia Estadual sem empreender a construção de hospitais de grande porte em quantidade significativa, além de não
corresponder à realidade, tem o condão de ofender a sua honra objetiva, compreendida como o juízo que terceiros fazem acerca dos atributos de alguém, ante ao fato de que sua imagem enquanto gestora foi conspurcada com as pechas da displicência e descaso”, diz o juiz na sua decisão.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte