Alternativo | Produção

Novo filme de Eva Pereira começa a ser gravado no Tocantins

Produzido pela MZN Filmes em coprodução com a Bananeira Filmes, de Vania Catani, "O Barulho da Noite" é estrelado por Marcos Palmeira e Emanuelle Araújo
23/09/2018 às 06h59
Novo filme de Eva Pereira começa a ser gravado no TocantinsCena do filme O Barulho da Noite, estrelado por Marcos Palmeira e Emanuelle Araújo (O Barulho da Noite)

SÃO PAULO- “O Barulho da Noite”, dirigido por Eva Pereira e com produção da MZN Filmes, em coprodução com a Bananeira Filmes, começou a ser filmado na semana passada no Tocantins. Estrelado por Marcos Palmeira, Emanuelle Araújo, Alice Santana, Ana Alice Dias, Mercês Campelo e Wetemberg Nunes, o filme conta o drama de Maria Luíza, uma menina de sete anos que é a primeira a perceber que sua família está por um fio quando descobre que a mãe está apaixonada pelo sobrinho.

Após sete anos de pesquisa, o filme coloca os holofotes nas crianças, para falar sobre abuso infantil, um tema difícil e espinhoso. “Apesar de recentemente começar a ser discutido de forma mais calorosa nas redes sociais e na mídia, no dia a dia, esse tema continua velado, pairando como uma sombra de um mal recorrente em universos distintos, extrapolando privilégios econômicos, sociais e culturais”, diz a diretora.

Em “O Barulho da Noite” o olhar de Maria Luíza é o esconderijo de tudo que ela cala, da dor silenciada, da denúncia, do pedido mudo de socorro contra os abusos que sofre, dos seus anseios e medos. Após o avanço de três anos no tempo, Maria Luíza perderá brutalmente sua inocência, e o olhar de Ritinha, a irmã mais nova e sua cúmplice na história.

Sobre a dolorosa e extensa pesquisa para o filme, Eva Pereira, completa: “foi possível identificar logo no início das pesquisas que fizemos para o filme, mais de um elo entre todas as vítimas. Além da violência sofrida, compartilhavam o silêncio absoluto. É como se ele fosse parte do ritual. Ainda, uma assustadora indiferença por parte de algumas mães, fruto da conivência em algumas situações e impotência em outras, em um misto de cumplicidade e dor, que desestrutura, maltrata, e viola”.

Formam a equipe do filme, o fotografo Fabricio Tadeu, a diretora de arte, Karen Araújo, figurino por Rô Nascimento. O filme é produzido por Márcio Mazaron, Eva Pereira e Vânia Catani, com recursos do Fundo Setorial Prodecine 1, é produzido pela MZN Filmes em coprodução com a Bananeira Filmes, tem previsão de lançamento para 2019, com distribuição da ArtHouse.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte