Cidades | Estiagem e calor

Temperaturas próximas dos 40ºC são registradas no MA

Estado ainda não está no ápice do período seco e, nos meses de outubro e novembro, a temperatura tende a ficar mais elevada, segundo meteorologistas
Daniel Júnior / O Estado19/09/2018

A temperatura no Maranhão está cada vez mais alta. Ontem, em algumas cidades do estado, como em Loreto, por exemplo, os termômetros marcaram o equivalente a 39,5°C, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Em São Luís, a temperatura máxima foi de 33°C e a mínima de 24°C, ainda conforme dados divulgado pelo Inmet. Em decorrência disso, a população se protege como pode, seja embaixo das coberturas de pontos de ônibus ou cobrindo parte do rosto com um papel.

Mesmo com essas temperaturas tão altas, o Maranhão ainda não está no ápice do período de estiagem, como explicou Gunter de Azevedo Reschke, meteorologista da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). “Nos meses de outubro e novembro, as temperaturas tendem a ficar mais altas. Neste momento, a região sul do estado é considerada a mais quen­te, com temperaturas próximas dos 40ºC e sensação térmica de 50ºC. Porém, é onde registramos uma maior amplitude, ou seja, as temperaturas são mais altas durante o dia e declinam durante a noite e madrugada. Em Balsas, Riachão e destaque para Loreto, as temperaturas estão próximas dos 40°C”, explicou Reschke.

Mais quente
Os bairros de São Luís que estão mais afastados do mar registram uma sensação térmica mais elevada do que os que estão nas proximidades das praias. “Aqui na capital, os bairros distantes das praias são mais quentes. Nos que estão mais próximos do mar, em razão da brisa, a sensação é mais confortável”, acrescentou.

O meteorologista salientou que as queimadas que acontecem com frequência, tanto em São Luís, como no interior do estado, propiciam mais calor. “As queimadas contribuem muito para que a sensação térmica fique muito quente. É uma temperatura quase que insuportável. Ainda mais nas regiões, onde há baixa umidade do ar, ventos intensos e que não chove há três meses, como na área Sul do Maranhão. Além disso, essa propagação de fogo, principalmente em terrenos abandonados, faz com que fiquemos doentes”, revelou.

O Estado constatou focos de queimada na reserva da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), situada na Avenida dos Franceses, nas proximidades da rodoviária de São Luís. Uma viatura do Corpo de Bombeiros Militar tentava combater as chamas, que queimavam a vegetação seca desse ambiente.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte