Cidades | Declínio

Setor hoteleiro tem baixo movimento e contabiliza prejuízos

Segundo empresários, faltam investimentos na cultura, incentivos fiscais e ação na segurança
Daniel Júnior / O Estado18/09/2018
Setor hoteleiro tem baixo movimento e contabiliza prejuízosHotéis têm recebido poucos clientes neste período (Biné Morais / O ESTADO)

Mesmo em período de estiagem no Maranhão e de baixa temporada para viagens (quando as passagens costumam ficar mais baratas), o setor hoteleiro de São Luís está em baixa, de acordo com o Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação do Maranhão (Sehama). Representantes de hotéis e pousadas afirmam que os estabelecimentos estão sendo mais acessados por empresas ou pessoas que vêm do interior à capital maranhense, para atendimento médico.

“Desde o ano de 2015 percebemos que o turismo do Maranhão está em declínio. Não tem investimentos na cultura, não há incentivos fiscais e só vemos insegurança. A dificuldade para entrar no estado provoca esta triste realidade. Os proprietários de hotéis e pousadas reclamam principalmen­te da falta de investimentos na cultura para poder atrair o turista. As pessoas que vêm para São Luís vão se divertir com o quê? No Centro Histórico, não há policiamento. Os recentes casos de violência que ocorreram nas proximidades da Lagoa da Jansen também afastam as pessoas. Os voos com destinos ao Maranhão são muito caros e também para se chegar ao aeroporto daqui há escalas”, explicou Mary Silva, superintendente do
Sehama.

O Estado esteve em um hotel-pou­sada situado na Rua 7 de Setembro, no centro de São Luís. O gerente do estabelecimento contou que o local só está sendo procurado por empresas e pessoas que vêm usufruir de um atendimento hospitalar na capital. “É difícil nos mantermos, mas estamos na ativa. As pessoas não estão vindo a São Luís para fazer turis­mo. É uma pena. Uma cidade que tem um potencial turístico e cultural muito intenso”, ressaltou Neto Farias, gerente administrativo do hotel.

Reclamações
No dia 18 de julho, turistas se queixavam das praias poluídas, insegurança, sinalização de trânsito e a falta de atrações em pontos turísticos em São Luís. Por outro la­do, a cultura, as belezas naturais da Ilha e as comidas típicas encantam os visitantes. Os locais mais procurados são a Avenida Litorânea e o Centro Histórico.

“O turista que chega ao Centro Histórico de São Luís encontra prostituição e insegurança. Não tem nada para entreter. Tem a feira nos fins de semana, mas nos dias úteis fica tudo parado. Isso acaba fazendo com que as pessoas vão embora e não voltem mais”, acrescentou Mary Silva.

O empresário Diego Rodrigues curtia a paisagem do Centro Histórico, no centro da capital maranhense. O paraense fez algumas observações. “É a primeira vez que venho a São Luís. Vim com familiares. O Centro Histórico é muito bonito. Cores que chamam a atenção. As construções retratam a história, mas faltam atrações culturais, musicais, entre outras, para nos entreter. Quase não vi policiamento. Uma área como essa deve ter bastante policial. Outra coisa que achei complicada foi o trânsito. É muito louco. Não tem sinalização adequada”, disparou Rodrigues.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte