Cidades | Falta de consciência

Praias de São Luís são alvo de descarte irregular de plástico

Uma rápida caminhada na praia é suficiente para encontrar copos descartáveis, canudos, sacolas, garrafas PET e outros tipos de embalagens plásticas jogadas
13/09/2018
Praias de São Luís são alvo de descarte irregular de plásticoLixo plástico se mistura a papel na areia da praia; apesar do descarte irregular, situação é comum na orla de SL (Divulgação)

Fios de roupas, tintas, eletrodomésticos, carros, esfoliantes de pele, resinas dentárias, seringas, bijuterias e até esmaltes de unha. O plástico está em praticamente tudo e facilitou muito a vida moderna, mas também se tornou um grande problema. O descarte irregular do plástico é atualmente um dos maiores poluidores das praias em todo o mundo e, infelizmente, São Luís não foge a esta realidade. Na capital maranhense, todos os dias os frequentadores reclamam por causa de copos descartáveis, canudos, garrafas PETs e outros itens jogados na areia. Só que esta companhia, nada agradável, é resultado justamente da falta de consciência de muitos frequentadores. O descarte inadequado de embalagens plásticas causa muitos problemas ambientais.

Conforme a Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente, a cada ano, oito milhões de toneladas de plástico vão parar nas águas dos oceanos, levando 100 mil animais marinhos à morte, em mé­dia. Ainda segundo a ONU Meio Ambiente, até 2050 pode haver mais plástico que peixes nos mares. A situação pode aumentar ainda mais a escassez de alimento no mundo, além de afetar a economia de regiões que dependem da indústria da pesca.

São Luís
Em São Luís, a situação ainda está longe de chegar a patamares críticos, mas a preocupação, assim como o descarte irregular, já é uma realidade. Basta uma rápida caminhada na praia para encontrar copos descartáveis, canudos, sacolas, garrafas PET e outros tipos de embalagens plásticas, além de restos de madeira e até entulho.

O designer Henrique Coutinho frequenta a Praia do Calhau quase todo fim de semana e afirma que sempre se entristece quando encontra algum item plástico jogado na areia. “Eu tenho o cuidado de jogar qualquer embalagem no lixo quando venho à praia, mas, infelizmente, nem todo mundo tem essa consciência”, disse.

Ainda segundo Henrique Coutinho, a poluição das praias só será resolvida quando as pessoas mudarem sua postura. “Muita gente reclama do lixo na praia, mas, se não fosse a ação humana, não teríamos este problema. Então, nós temos que tomar uma atitude em relação a isto. Se a gente jogar o lixo no local certo, não vamos vê-lo espalhado pela areia. A praia ficará mais limpa e mais agradável para quem frequenta”, comenta.

Riscos ao meio ambiente
A grande quantidade de resíduos de plástico é resultado do estilo de vida moderno, em que o plástico é usado como matéria-prima para diversos itens descartáveis ou "de uso único", como garrafas de bebida, fraldas, cotonetes e talheres. Garrafas de bebida são um dos tipos mais comuns de resíduos de plástico. A estimativa é que a cada um minuto 1 milhão de garrafas PET sejam vendidas no mundo.

Quando descartado de forma incorreta, o lixo plástico pode causar entupimentos de valas e bueiros, que geram enchentes e desabrigam pessoas, principalmente os moradores de periferias. A poluição visual também é outro malefício causado pe­los resíduos plásticos. Isso sem contar o impacto dos plásticos no ecossistema marinho. Pesquisas demonstram que o plástico, no ambiente marinho, sofre ações do meio, fragmenta-se e passa a ter aparência de alimento para muitos dos animais marinhos, causando a morte deles e interferindo no ciclo reprodutivo de muitas espécies.

O plástico é difícil de ser compactado e gera um grande volume de lixo. Portanto, ele ocupa um grande espaço no meio ambiente, o que dificulta a decomposição de outros materiais orgânicos. A durabilidade e resistência do plástico viram problemas após o descarte. Como é à prova de fungos e bactérias, sua degradação é extremamente lenta, podendo demorar até 200 anos.

Prefeitura realiza ação de limpeza das praias

No sábado, dia 15, acontecerá em várias cidades do mundo ações de limpeza das praias em alusão ao Dia Mundial da Limpeza das Praias, o Clean Up The World. Trata-se de uma ação de voluntariado em que a população se reúne para fazer a catação do lixo espalhado pela faixa de areia. Em São Luís, a Prefeitura fará uma ação que unirá limpeza urbana e educação ambiental para chamar a atenção da população para a importância do descarte correto dos resíduos.

De acordo com informações do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, da Prefeitura de São Luís, todos os dias cerca de 20 toneladas de resíduos como casca de coco e garrafas PET, entre outros, são recolhidas da faixa de areia. Estes resíduos são descartados irregularmente pelos frequentadores do local. Para garantir a limpeza todos os dias, agentes de limpeza trabalham na limpeza da orla da capital, fazendo a varrição, catação e remoção dos resíduos descartados na faixa de areia ou na área urbanizada da orla. Além dos agentes, são utilizadas ainda caçambas e retroescavadeiras para recolher o lixo descartado irregularmente nas praias de São Luís. Na faixa de areia ao longo da Avenida Litorânea, uma das principais áreas turísticas da cidade, é mantido um plantão de varrição todos os domingos com agentes de limpeza.

Para chamar atenção para o problema, a Prefeitura de São Luís está mobilizando estudantes da rede municipal de ensino e a sociedade civil para participarem de um Dia D em prol das praias da cidade. Das 8h às 10h, do sábado (15), voluntários farão a catação dos resíduos encontrados na faixa de areia que vai do prolongamento ao Parquinho da Avenida Litorânea.

Ao longo do percurso, os frequentadores das praias receberão dicas de como fazer o descarte correto do seu lixo e como podem reduzir a geração de resíduos, protegendo as praias da cidade. Ao final, tudo que for recolhido será pesado para que as pessoas tenham noção do quanto é descartado irregularmente nas praias de São Luís e os riscos que esse descarte traz.
Segundo o Comitê Gestor de Limpeza Urbana, a ação que será realizada neste sábado é um chamamento de cunho social e voluntário à população para que se consiga acabar com o descarte irregular de resíduos.
Para participar, basta vestir-se de branco. No local, serão distribuídos sacos plásticos, luvas, água e protetor solar. O órgão pede ainda que os voluntários levem sua garrafa ou squeeze para água.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte