Empreendendo

Agências de marketing e propaganda

11/09/2018

Todas as empresas que querem crescer, expandir, aumentar sua participação ou abrir novo mercado precisam aparecer para o seu possível consumidor. Seu produto ou serviço precisa se tornar conhecido e criar uma vontade de consumo para o maior número possível de clientes, ou permanecer vivo na lembrança de seus consumidores. Para isso, são necessárias ações de marketing e a escolha certa dos veículos de propaganda para atingir consumidores finais, pessoas físicas ou jurídicas ou, ainda, consumidores intermediários.
Podemos dar o seguinte exemplo: uma empresa que está querendo lançar uma nova marca de manteiga precisa fazer ações que mostrem o produto para o consumidor final e outras ações que visam mostrar seu produto para supermercados, atacadistas e padarias, que são intermediários para o produto manteiga. O objetivo é o mesmo: vender mais. Mas a maneira de atingir os dois públicos é diferente.
Aqui entram parceiros da maior importância para empresas, instituições, governos ou em campanhas políticas, como estamos vendo agora: as agências de marketing e propaganda e seus profissionais.
Tenho visto o surgimento imenso de pessoas, por meio da internet, se lançando como agência de marketing e propaganda. Isso pode ser perigoso e caro para empresas desavisadas. Caro não somente pelo valor monetário pago por mídias. Pode ser muito mais caro por erros que podem manchar a imagem de um produto ou serviço, e por não saber a forma de atingir o consumidor desejado.
Não é porque eu sei utilizar as redes sociais de modo orgânico ou pagas que me dão as credenciais para ser uma agência de marketing e propaganda. A maioria dessas pessoas tem origem na internet, tem conhecimento limitado das redes sociais, e para ser agência deve ter muitos outros requisitos e conhecimento.
As agências tradicionais são estruturadas e possuem conhecimentos de todos os veículos de propaganda, rádio, jornal, tevê e inclusive de internet. Elas têm número de ouvintes, leitores e telespectadores e o número de visitas a um portal de notícias, por exemplo. Ela saberá escolher o veículo ou veículos ideais para uma campanha publicitária.
Fazer marketing também é passar credibilidade. Vejamos o exemplo do produto manteiga. Ter um post em uma rede social não é a mesma coisa de ter o mesmo post em um portal de notícias, apesar de ambos estarem na internet.
As agências criam as ideias, o marketing posiciona o produto, enquanto a propaganda, por intermédio dos veículos, o torna conhecido para vender mais. Para isso, há toda uma linguagem a ser usada pelos veículos de comunicação para dar credibilidade e retorno ao investimento.
Agências estruturadas têm profissionais que sabem escolher os veículos de propaganda que melhor se ajustem ao produto ou serviço a ser trabalhado. Uma agência conta com toda uma estrutura física e de pessoas para atender seus clientes. Tem a pessoa de contato, que é fundamental para entender os anseios dos clientes e repassar para seus colegas de criação; tem o setor de criação de arte, de edição de vídeos; pessoas para escrever textos, que estudaram para se tornar profissionais de marketing e propaganda.
Todas as grandes empresas têm a sua agência de marketing e propaganda, que cuidam da imagem e de suas campanhas. Se você ainda acha que marketing e propaganda são despesas, está na hora de se reciclar, se não quiser ser ultrapassado por seus concorrentes.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.