Cidades | Comemoração

Desfile cívico-militar marca o Dia da Pátria em São Luís

Tropas do Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, estudantes e integrantes da Cruz Vermelha, entre outras entidades, marcharam com os seus instrumentos na Av. Vitorino Freire, na Areinha
Daniel Júnior / O Estado08/09/2018
Homens do Exército, em sua farda rajada, participaram do desfile na manhã de ontem

A reverência à bandeira e a entoação dos hinos nacionais anunciou o início do desfile cívico-militar que celebrou o Dia da Independência do Brasil, realizado durante a manhã de ontem, em São Luís. Tropas do Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, estudantes e integrantes da Cruz Vermelha, entre outras entidades, marcharam com os seus instrumentos por um trecho da Avenida Vitorino Freire, no bairro da Areinha, para homenagear a emancipação do país, que perdura há 196 anos. O evento atraiu milhares de pessoas, que se organizavam às margens da via pra assistir à comemoração.

A Aeronáutica também se fez presente com seu uniforme azul e bandeiras da instituição

A banda musical do 24° Batalhão de Infantaria Selva (BIS) abriu as apresentações no desfile, seguida pelo desfiles de ex-combatentes da Força Expedicionária do Maranhão. Posteriormente, desfilaram tropas da Marinha, Força Aérea do Brasil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e as outras instituições que participaram o evento. Um helicóptero do Centro Tático Aéreo (CTA) fazia o patrulhamento aéreo do evento e viaturas das instituições eram apresentadas ao público.

Esquadrão Águia da Polícia Militar fez parte de um dos pelotões da corporação na avenida

A Banda do Bom Menino também desfilou pela avenida Vitorino Freire. Ao som e passos arrojados, meninos e meninas festejavam o Dia da Pátria. A autônoma Markelly Soares Martins, de 35 anos, foi acompanhar a sua filha Maria Sofia Soares Martins, de 12 anos, que desfilou no grupo formado por estudantes do Colégio Militar. É a primeira vez que ela desfila e estamos gostando muito da festividade. As Forças Armadas, pelo menos, é o que ainda funciona no nosso país. Há um zelo por essas instituições. Minha filha até pensa em pertencer a uma das Forças”, relatou Markelly Martins, enquanto contemplava o desfile cívico-militar.

Corpo de Bombeiros Militar levou homens e mulheres à Avenida Vitorino Freire

“É muito importante esse desfile neste dia. É reviver momentos da nossa história e passar informações de civismo e patriotismo ao povo. A nossa nação merece ser honrada. Temos passar isso de geração em geração. O amor a nossa pátria. Além disso, mostrar a diferença entre a democracia e o anarquismo. O nosso povo precisa de conhecimento, para o nosso país não se transformar em uma bagunça”, ressaltou Mauro Roberto Ribeiro Silva, major do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão.

Alunos da Escola Militar desfilaram ontem, mostrando civismo e respeito à pátria

“A Cruz Vermelha está presente em 190 países e faz parte do apoio às Forças Armadas em época de guerra e no civismo também temos que estar presente. O desfile cívico -militar é um ato histórico, cultural e que deve se perpetuar de geração em geração. Retrata a história da nação brasileira”, acrescentou Carlos Rangel, presidente da Cruz Vermelha no Maranhão.

Banda do Bom Menino foi uma das participantes da parada, com músicos e estudantes

“É muito bom desfilar e despertar nas pessoas o sentimento de amor à Pátria. O objetivo do desfile é mostrar importância de cultivarmos o patriotismo e festejar esta data magna com a população de São Luís. Que todos pensem em um Brasil cada vez melhor”, desejou Marcos Vinícius Soares Guimarães de Oliveira comandante do 24° Batalhão de Infantaria de Selva (BIS).

História da Independência do Brasil

A Independência do Brasil ocorreu em 7 de setembro de 1822. A partir desta data, o Brasil deixou de ser uma colônia de Portugal. A proclamação foi feita por D. Pedro I às margens do riacho do Ipiranga em São Paulo.
Causas
- Vontade de grande parte da elite política brasileira em conquistar a autonomia política;
- Desgaste do sistema de controle econômico, com restrições e altos impostos, exercido pela Coroa Portuguesa no Brasil;
- Tentativa da Coroa Portuguesa em recolonizar o Brasil
Dia do Fico
D. Pedro não acatou as determinações feitas pela Coroa Portuguesa, que exigia seu retorno para Portugal. Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro negou ao chamado e afirmou que ficaria no Brasil.

Fonte: historiadobrasil.net

SÍMBOLOS NACIONAIS:

Os Símbolos Nacionais, implementados pela Lei n° 5.700 de 1º de setembro de 1971, representam a união nacional do nosso país. São eles: Bandeira Nacional, Armas Nacionais, Selo Nacional e o Hino Nacional. Incluídos na Constituição, eles possuem um grande valor histórico e identicam a nação brasileira. Juntos, eles assinalam o sentimento de união da nação bem como a soberania do país. O Dia dos Símbolos Nacionais é comemorado dia 18 de setembro.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte