Estado Maior | COLUNA

Desmascaramento

07/09/2018

O discurso do presidente Michel Temer (MDB) contra o presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin - que teve forte repercussão nas redes sociais e na imprensa desde quarta-feira -, caberia como uma luva no cenário atual do Maranhão. Qualquer um poderia sentar em frente a uma câmera e desmoralizar o discurso da mudança que o governador Flávio Dino (PCdoB) prometeu implantar há quatro anos, quando se candidatou ao governo.
Em primeiro lugar, Dino não pode se arvorar de ter implementado mudanças na Educação, na infraestrutura, quando, ao seu lado, estão ex-secretários como Gastão Viera, Pedro Fernandes, Fernando Fialho, Luis Fernando Silva e figuras conhecidas das frequências aos gabinetes palacianos, como Rogério Cafeteira, Stênio Rezende, Hélio Soares e a família Cutrim.
Se quis implantar a mudança, diria o crítico, utilizou-se dos mesmos atores para implementá-la.
A mudança que Dino implantou se deu com Rosângela Curado, presa por corrupção; com Simone Limeira, processada por corrupção, Carlos Lula, denunciado por corrupção, Weverton Rocha, réu no STF por corrupção; Márcio Jerry, inelegível por decisão judicial; Rubens Júnior, cuja mãe e o pai estão inelegíveis. Esta é a mudança que o Maranhão experimentou em quatro anos.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte