Cidades | Cronograma

Licitação para nova gestão da rodoviária será em setembro

Alvo de insatisfação de permissionários, a RMC Comércio Serviços LTDA, participará do certame
Daniel Júnior / O Estado28/08/2018

Está previsto para setembro o início do processo licitatório que definirá qual empresa ficará responsável pela administração do Terminal Rodoviário de São Luís, instalado no bairro Santo Antônio, de acordo com informações divulgadas pela Agência de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB). Alvo de insatisfação de permissionários, a RMC Comércio Serviços LTDA, atual administradora do terminal, também participará do certame, para tentar continuar com a prestação de serviço no ambiente.

O gerente do equipamento público, Marcos Adriano Pereira, afirmou que a RMC Comércio Serviços LTDA só poderá executar obras mais satisfatórias na rodoviária, cobradas por permissionários, após a realização da nova licitação, pois o contrato entre o Governo do Estado e a empresa já está no fim. “Estamos aguardando o processo licitatório, para que possamos executar obras mais concretas no terminal, como, por exemplo, cercar as laterais e reformar os banheiros, que estão com a sua estrutura arruinada. Como podemos iniciar algo agora, se não soubermos quanto tempo vamos continuar, e se vamos continuar na gestão?”, indagou Pereira.

A rodoviária necessita de obras nos banheiros e na iluminação, por exemplo, e principalmente na segurança. “A RMC não fez muitas coisas, mas já estamos cientes de que eles também estão aguardando o processo de licitação, que já foi adiado diversas vezes. Enquanto isso, vivemos aqui com prejuízos, porque esses problemas afastam os passageiros, que estão preferindo o transporte alternativo e as pessoas que vêm de outros estados não se sentem bem. Sem esquecer da insegurança: assaltos, furtos e uso de drogas aqui nas dependências”, relatou Rosanira Lopes, presidente da Associação dos Permissionários da Rodoviária de São Luís.

Banheiros deteriorados, iluminação ineficiente, assaltos e uso de entorpecentes nas dependências da rodoviária são alguns problemas problemas relatados a O Estado, por quem trabalha no equipamento público.

Segurança
Para manter a segurança no Terminal Rodoviário de São Luís, são escalados dois policiais militares por plantão. Porém, conforme quem trabalha no espaço, não é o suficiente, já que a rodoviária é aberta em todos os lados. “São apenas dois policiais, em cada turno de trabalho. Isso é um absurdo. Não supre a demanda. O fluxo de passageiros está até baixo no momento, mas de pedintes, moradores de rua e criminosos, a cada dia aumenta”, denunciou o taxista Wellington Lima Silveira, de 62 anos.

Por outro lado, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA) afirmou que a segurança na rodoviária e adjacências é feita ininterruptamente por meio do 6º Batalhão da Polícia Militar (BPM). A Polícia Militar realiza ações preventivas e ostensivas no entorno da rodoviária, sob a coordenação do Comando do Policiamento da Unidade (CPU). O patrulhamento é realizado por meio de viaturas de áreas e equipes do Batalhão Albatroz, no qual veículos e pedestres em situação suspeita são revistados. O órgão ainda esclareceu que a base fixa da PM dentro do terminal funciona como ponto de referência para solicitação de auxílio policial.

O Estado conversou com uma comerciante que foi vítima de um assalto quando trabalhava em um dos boxes da rodoviária. “Um rapaz, até bem vestido, chegou aqui dizendo que precisava fazer uma ligação. Emprestei o meu celular a ele. Quando me deparei, ele correu. Não tem policiamento e ficamos reféns dos criminosos. Ainda tentei pegar as imagens da câmera de segurança da administração, mas disseram que não teriam como ceder. Cheguei a ver ele novamente por aqui próximo, mas não o alcancei. Agora, fiquei sem meu celular”, lamentou Antônia de Sousa.

Relembre:

No dia 25 de junho deste ano, o Governo do Maranhão, por meio da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), informou que aguardava uma decisão judicial para continuidade do processo licitatório. A MOB esclareceu que a licitação foi adiada a partir do mandado de segurança impetrado por uma das empresas licitantes, na véspera do certame, solicitando alterações no edital. A licitação foi suspensa até que o Poder Judiciário analise o mérito do pedido ou até que o recurso que o Estado interpôs altere a decisão judicial.

Saiba mais:

Situada no bairro do Santo Antônio, em São Luís, o Terminal Rodoviário é totalmente aberto e se tornou uma passagem para moradores da região cortar o caminho de casa. A movimentação é intensa. Além disso, é constante a presença de pedintes e moradores de rua.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte