Geral | Atropelamento cães

Novo vídeo mostra que enfermeira pode ter premeditado o atropelamento de cachorros

Imagem mostra que Ana Giselly Atan seguiu os cachorros até encontrar o momento exato de cometer o atropelamento
16/08/2018 às 18h56

SÃO LUÍS – Novo vídeo que circula nas redes sociais mostra que a enfermeira identificada como Ana Giselly Ferreira Atan planejou o ataque aos dois cachorros. A cena foi gravada em uma rua do bairro Residencial Pinheiros, em São Luís. Um dos cachorros morreu na hora e outro foi levado ao hospital com vários ferimentos. O caso repercutiu nacionalmente e várias celebridades se manifestaram na internet. O crime foi registrado na delegacia do meio ambiente de São Luís.

LEIA MAIS

CENAS FORTES: enfermeira atropela dois cachorros no Residencial Pinheiros

''Isso não é uma pessoa, é um demônio'', diz Luisa Mell sobre caso de cães atropelados em São Luís

Imirante conversou com dona dos cachorros atropelados pela enfermeira Ana Giselle Atan

Nessas novas imagens feitas por câmeras de monitoramento de uma residência localizada na rua onde o atropelamento dos cachorros foi registrado é possível ver que a enfermeira segue um dos cachorros, que caminha pela calçada, e espera até a hora em que os dois animais param na frente do seu veículo. Em seguida, ela comete o atropelamento.

Após a repercussão do vídeo mostrando a enfermeira Ana Giselly Ferreira Atan atropelando dois cachorros, no bairro Residencial Pinheiros, em São Luís, a Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA) e o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-MA) divulgaram nota de repúdio, em relação ao ato covarde da enfermeira. Ela, inclusive, foi afastada de suas funções em uma empresa que presta serviço para a Secretaria Estadual de Saúde.

No Brasil, maltratar animais é considerado crime ambiental, conforme prevê o art. 32 da Lei nº 9.605, de1998, com pena de detenção de três meses a um ano e multa.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte