Cidades | Perigo na via

MA-203: sem sinalização, cruzamento é risco para condutores e pedestres

No trecho, há intenso fluxo de caminhões, por causa de obras executadas por uma construtora na região; condutor deve diminuir a velocidade no retorno
Daniel Júnior / O Estado15/08/2018

Sem sinalização, o cruzamento à direita, situado entre um trecho da Estrada do Araçagi (MA-203) e a Avenida Alencar, no Parque Bob Kennedy, em Paço do Lumiar, tornou-se um ponto arriscado para motoristas e pedestres e vem sendo alvo de acidentes graves. O motorista que necessitar fazer retorno nessa área deve ter atenção redobrada e diminuir a velocidade, para não colidir na traseira de outros veículos que estiverem fazendo manobra semelhante. Ao atravessar a via, o pedestre também tem de ficar atento, para não ser atropelado por algum veículo que estiver fazendo a conversão.

De acordo com pessoas que transitam na área, veículos quase sempre trafegam em alta velocidade. “Estão acontecendo muitos acidentes nesse cruzamento, porque os motoristas vêm em alta velocidade pela rodovia e continuam da mesma forma ao fazerem o retorno. Antes não era assim, mas depois que o acesso aqui foi liberado… Falta sinalização, tanto para os condutores tomarem consciência, como para os pedestres, que às vezes se arriscam em atravessar bem no início da Avenida Alencar”, explicou o servente José Carlos Pereira, de 55 anos, que reside em uma casa nas proximidades da Avenida mencionada.

Na Avenida Alencar há um gran­de fluxo de veículos pesados, como caminhão, por causa de obras executadas na região por uma construtora. “Ficou muito perigoso trafegar no cruzamento. O caminhão, ao fazer retorno, leva um tempo para girar, mas os veículos menores, por exemplo carro e moto, vêm em alta velocidade da MA-203 e, quando entram à direita, acabam colidindo na traseira. Tem de ter uma placa informando que há um cruzamento e com intenso fluxo de caminhões”, ressaltou o caminhoneiro José Pereira Dantas.

Acidente
Um acidente de repercussão no cruzamento foi registrado no último dia 10. O dentista Luís Gustavo Cássio da Silva, de 24 anos, morreu após colidir com sua moto na traseira de um caminhão, quan­­do tentava fazer um retorno na avenida. O jovem bateu com a cabeça no tanque do veículo pesado e morreu no local. Ontem, O Estado constatou que ainda havia óleo do caminhão na pista e que o concreto cedeu parcialmente. Testemunhas informaram que o motociclista estava em alta velocidade e não teve tempo de frear.

O Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) é responsável por manter a segurança nas MAs. Procurado, o coronel Eurico informou que há uma viatura na MA -203, que faz fiscalização. “Temos uma viatura na MA-203, que executa os serviços de fiscalização 24 horas. Naquele trecho onde aconteceu o acidente não existe sinalização. Diante disso, não podemos multar motoristas. É obrigação dos condutores trafegarem na velocidade permitida na via. Como nesse trecho está ocorrendo muitos acidentes, como relatado por moradores e caminhoneiros, vamos fazer um bloqueio preventivo, para conscientizar os condutores”, acrescentou o coronel.

SAIBA MAIS

O mês de agosto já contabilizou, até ontem, quatro mortes no trânsito da Grande São Luís causadas por colisão. Todas as vítimas são do sexo masculino. A primeira morte ocorreu no dia 5 de agosto, no bairro do Anil. A vítima foi identificada como Raimundo Marques de Sousa, de 43 anos. O segundo caso foi no mesmo dia, no bairro Pirâmide, em Raposa, na Grande Ilha. José de Ribamar Ramos Silva, de 51 anos, não resistiu aos ferimentos da colisão e faleceu. O terceiro caso e de repercussão foi relatado no decorrer da reportagem. O dentista Luís Gustavo Cássio da Silva, de 24 anos, morreu, no último dia 10 de agosto, após colidir com sua moto na traseira de um caminhão, quando tentava fazer um retorno na MA-203. O último caso registrado aconteceu na última segunda-feira, 13 de agosto, no bairro Nova Terra, em São José de Ribamar. Antônio Bruno Rodrigues Soeiro, de 25 anos, não resistiu aos ferimentos e faleceu.
Fonte: SSP-MA

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte