Cidades | Aumento de tarifas

Elevação de despesas afeta o sistema de transporte, diz SET

Os quatro consórcios que atuam em São Luís têm uma defasagem diferente, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros
Daniel Júnior / O Estado 20/07/2018
Elevação de despesas afeta o sistema de transporte, diz SETSET frisa que há necessidade de aumento de tarifas de ônibus (Diego Chaves / O Estado)

A elevação nos custos com despesas, como reajuste nos preços do combustível e plano de saúde dos funcionários, por exemplo, e a baixa arrecadação são os principais fatores que contribuem para o desequilíbrio econômico no sistema de transporte de passageiros de São Luís, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (SET), havendo necessidade de reajuste de tarifas, para equilibrar a situação.

Ainda conforme o SET, os quatro consórcios que atuam em São Luís têm uma defasagem diferente. A avaliação dos gastos de cada empresa depende da frota, do tipo de passageiros e da situação das vias por onde os veículos trafegam, por exemplo.
“Não temos uma ideia definitiva de quanto teria que ser o reajuste das passagens, para comportar as despesas que as empresas precisam pagar. Deve, sim, ter um aumento. Mas cada consórcio tem uma realidade de defasagem diferente. Há empresa que, por ter linhas rodando em áreas esburacadas, gastam muito com conserto dos veículos. Outra paga mais caro por combustível, caso não tenha um estoque planejado. Tem área que têm muitos estudantes e a arrecadação diminui drasticamente, mas as despesas continuam altas”, explicou Luís Cláudio Andrade Siqueira, superintendente do SET.

Siqueira disse ainda que a Prefeitura não incluiu integralmente no cálculo do último reajuste tarifário os benefícios para os trabalhadores. E destacou que a Prefeitura não tem diálogo com os proprietários das empresas. “A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) gere o sistema, mas não se posiciona. Os empresários comunicaram à Prefeitura, em outubro do ano passado, por exemplo, que o valor do plano de saúde seria reajustado, mas nada foi resolvido”, ressaltou o superintendente.

SAIBA MAIS

Devido aos constantes casos de assaltos nos coletivos que trafegam em São Luís e na Grande Ilha, muitos passageiros estão optando por meios de transportes alternativos. “O Sistema de transporte está cada vez perdendo mais passageiros, porque, com receio de assaltos, muita gente está aderindo a meios alternativos de locomoção. Isso causa uma redução na arrecadação”, revelou Siqueira.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte