Vida | Educação

Estudo sobre pré-história maranhense é levado à Espanha

Encabeçada pelo professor Alexandre Guida Navarro, pesquisa foi apresentada no 56º Congresso Internacional de Americanistas, em Salamanca
Thiago Bastos / O Estado18/07/2018

SÃO LUÍS - Os indícios das chamadas estearias - moradias lacustres construídas há quase dois mil anos com troncos de árvores que serviram de sustentação para as construções superiores de aldeias no Maranhão - foram apresentados ontem pelo professor do Departamento de História da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Alexandre Guida Navarro (que contou com a colaboração do também professor do Curso de Música da Uema e assessor da Pró-Reitoria de Graduação, João Gouveia), no 56º Congresso Internacional de Americanistas, que acontecerá até sexta-feira (20), na cidade de Salamanca, na Espanha. A pesquisa, considerada única por representar palafitas com alto grau de preservação e intitulada “O povo das águas: carta arqueológica das estearias da porção centro-norte da Baixada Maranhense”, foi financiada pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Maranhão (Fapema).

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte