Edição Digital

Polícia | Criminalidade

Zona rural de São Luís continua sob o domínio de criminosos

Bandidos invadem residências, fazem reféns, assaltam, vendem drogas e desafiam as autoridades policiais; situação é crítica no Residencial Natureza
Ismael Araújo13/07/2018
Zona rural de São Luís continua sob o domínio de criminososMensagens escritas nas paredes dos prédios marcam território de uma facção com ameaça aos rivais (Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS - A criminalidade continua predominante na área do Maracanã, na zona rural de São Luís. Roubos, venda de droga e ataques de “faccionados” são ocorrências diárias na localidade. Segundo moradores da área, suas residências estão sendo invadidas pelos bandidos que fazem as famílias reféns e ainda são ameaçadas de morte. A maioria dessas ações criminosas é realizada no período da tarde.

“Estamos vivendo a mercê dos assaltantes”, desabafou uma moradora do Residencial Natureza, no bairro do Maracanã. Ela não se identificou com receio de represália. A moradora declarou que no fim da tarde de quarta-feira teve a sua residência atacada por quatro criminosos que portavam arma de fogo e facão.

Ela disse que no momento da ação estava em companhia do marido, de seus dois filhos menores e de sua prima, gestante de 7 meses. “Fomos rendidos sob a mira de uma arma de fogo e levados para o quintal, enquanto os bandidos faziam um ‘raspa’ no local”, explicou a moradora.

Segundo a vítima, os criminosos pretendiam, também, roubar as outras residências do conjunto. A polícia demorou a atender o pedido de socorro. “O residencial é novo e a iluminação e o matagal facilitam a ação dos assaltantes”, disse a vítima.

Uma outra moradora, nome não revelado, afirmou, também, que teve a sua casa assaltada este ano, também no período da tarde. Cinco homens saíram do matagal e invadiram a sua casa. Eles agiram de forma truculenta e chegaram até mesmo a pontar uma arma de fogo para a cabeça de uma criança.

Ela declarou que tiveram que suportar a presença dos bandidos por mais de 40 minutos dentro de sua casa sob a mira de um revólver. “A vizinha acionou a polícia que quando chegou os assaltantes tinham fugido”, frisou a moradora.

Farmácia

“As bocas de fumo do bairro são denominadas como farmácia”, disse um morador do Residencial Amendoeira, na área do Maracanã. Ele afirmou que o bairro tem 14 ruas e em cada uma há pelos menos duas bocas de fumo, que são comandadas por integrantes de facções criminosas. A maioria tem ligação com internos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Ele declarou, também, que nesse bairro existe a rivalidade entre dois grupos, que são os responsáveis pelo clima de pânico na área, inclusive com constantes ocorrências de tiroteio. Esse tipo de ação criminosa na maioria das vezes ocorre no período da noite ou na madrugada.

Ribeira

Na entrada do Residencial Ribeira, também localizado na área do Maracanã, é possível encontrar ordens escritas deixadas pelos faccionados nas paredes dos apartamentos. Algumas delas dizem para os motoristas abaixarem o vidro do veículo ao entrarem na comunidade. Algumas afirmam que as facções criminosas mandam na área.

Também nas paredes das casas do Residencial Santo Antônio há mensagens deixadas pelos criminosos. Muitas delas afirmam que a pessoa que cometer algum tipo de roubo na área vai ser penalizado. “A pessoa que roubar na comunidade pode morrer a tiros”, disse uma moradora, nome não revelado.

Depredação

A maioria das residências do Residencial Morada do Sol, nas proximidades do Amendoeira, está em estado deplorável. As janelas e as portas quebradas, além dos telhados danificados.

Nas ruas desse residencial há crateras que impedem o tráfego de veículos. “Eles disseram que essas casas seriam entregue em dezembro do ano passado, mas, agora, não tem previsão”, declarou Jorge Almeida, morador do Residencial Amendoeira.

Policiamento

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) informou, por meio de nota, que ações de segurança preventivas e ostensivas são desenvolvidas interruptamente em todos bairros que compõem a zona rural de São Luís, incluindo o bairro do Maracanã. O policiamento é feito por policiais do 21º Batalhão de Polícia Militar (BPM) em viaturas e motocicletas.

A SSP ressalta, ainda, que o 12° Distrito Policial, no bairro do Maracanã, foi entregue à comunidade no fim do ano passado e sede da base fixa da Polícia Militar está instalada no terminal do Distrito Industrial. Ainda assim, a SSP informa que vai reforçar ações com rondas na região.

“Fomos rendidos sob a mira de uma arma de fogo e levados para o quintal, enquanto os bandidos faziam um ‘raspa’ no local”Moradores do Residencial Natureza, assaltada na quarta-feira

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.