Cidades | Descarte irregular

Lixão a céu aberto ocupa trecho da margem da Avenida Ferreira Gullar

Comitê Gestor de Limpeza Urbana diz que é consequência do descarte irregular; no local, a Prefeitura instalou uma placa pedindo que lugar fique limpo
08/07/2018 às 07h00
Lixão a céu aberto ocupa trecho da margem da Avenida Ferreira GullarLixão formado na Av. Ferreira Gullar, apesar de placa pedindo limpeza (Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS – Um lixão a céu aberto localizado na Avenida Ferreira Gullar, no bairro São Francisco, gera um cenário de descaso da própria população da capital quanto ao descarte do lixo doméstico.

Os detritos tomam de conta da calçada e chegam a se espalhar por boa parte da extensão da avenida, por causa dos urubus que contribuem para o cenário. Além disso, os dejetos, por serem depositados à beira-mar, põem em risco não só o solo, mas também a água do mar.

O Estado identificou uma placa de que é proibido descartar lixo no local, mas, ao que foi constatado, não foi suficiente para conter a ação irregular dos próprios moradores.

Por meio de nota, o Comitê Gestor de Limpeza Urbana informou que o acúmulo de lixo ao longo da Avenida Ferreira Gullar é decorrente do descarte irregular de resíduos sólidos feito na via. A coleta na avenida é feita de duas formas: a via recebe tanto a coleta domiciliar quanto a coleta de corredores e avenidas. As duas são feitas todos os dias. Uma vez pela manhã e outra à noite.

Para fortalecer as políticas de limpeza urbana na região, foi inaugurado, em janeiro deste ano, o Ecoponto São Francisco, localizado na Avenida Ferreira Gullar, próximo a Estação da Caema. Também já foram feitas ações de educação ambiental e reuniões com a comunidade com o objetivo de conscientizar carroceiros e moradores da região para o descarte correto do lixo.

O Ecoponto recebe restos de construção civil, poda e capina doméstica bem como móveis e eletrodomésticos velhos; eletrônicos como televisão, monitores, celular, impressoras, mouses, teclados; madeiras; óleo de cozinha; pneus; e recicláveis como plástico, papel, isopor, metais e vidros.

Conscientização

O Comitê desenvolve, ainda, ações de educação ambiental junto às comunidades do entorno da avenida com o objetivo de conscientizar a população quanto o descarte irregular. Apesar disso, o acúmulo de lixo causado pelo descarte irregular é grande ao longo da via.

Por isso, o Comitê pede o apoio dos moradores do bairro para que façam o descarte correto dos resíduos e que os mesmos sejam acondicionados em sacos plásticos, na frente do seu respectivo domicílio, nos dias e turnos em que passa o caminhão de coleta, evitando o descarte nos demais dias da semana, o que causa o acúmulo de lixo nas vias públicas, atraindo animais e provocando mau-cheiro. A coleta nos bairros São Francisco e Ilhinha é feita diariamente no período noturno.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte