Geral | Agravamento

Total de mortes por Síndrome Respiratória sobre para 22 no MA

A doença pode ser causada por diversos vírus respiratórios; os mais comuns são o vírus sincicial respiratório (VSR), influenza B e influenza A, com seus subtipos A Sazonal, A H1N1 e A H3; 121 casos contabilizados só este ano
Daniel Júnior 23/06/2018
Total de mortes por Síndrome Respiratória sobre para 22 no MA

SÃO LUÍS - O Maranhão já registrou este ano 22 óbitos em decorrência da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRGA), de acordo com dados do Ministério da Saúde (MS) coletados até o dia 18 de junho. Desse total, duas mortes ocorreram devido a complicações com vírus da gripe A H1N1, três por causa da influenza (gripe) A não subtipado, uma por outro vírus, 15 não especificado e uma morte está em investigação. Um total de 121 casos foram contabilizados.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) é uma complicação, um quadro de agravamento da síndrome gripal (SG), em que, além de apresentar os sintomas gripais como febre, tosse, dor de garganta, dor de cabeça ou no corpo, a pessoa passa a apresentar também dispneia ou desconforto respiratório, piora nas condições clínicas de doença de base e hipotensão em relação à pressão arterial habitual.

O quadro clínico pode ou não ser acompanhado de alterações laboratoriais e radiológicas. Tanto a SRAG quando a SG, podem ser causadas por diversos vírus respiratórios. Os mais comuns são o vírus sincicial respiratório (VSR), influenza B e influenza A, com seus subtipos A Sazonal, A H1N1 e A H3.

Em reportagem de O Estado publicada no dia 9 deste mês, foi constatado que 12 mortes ocasionadas pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) tinham ocorrido no Maranhão durante este ano. De lá para cá, esse número cresceu em aproximadamente 90%.

Uma das formas mais eficaz de prevenir a gripe e a sua evolução é por meio da vacinação, conforme explicou Rita de Cássia Santos Carneiro, coordenadora de enfermagem do Centro de Saúde Paulo Ramos, situado no centro de São Luís, em reportagem publicada no dia 09 deste mês. “É de grande importância as pessoas tomarem essa vacina, principalmente o grupo prioritário, mais vulneráveis a essa doença, como idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional”, relatou Carneiro.

Segundo o Ministério da Saúde (MS), a influenza ou gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, ocasionada pelo vírus influenza, com elevado potencial de transmissão. Inicia-se com febre, dor muscular, e tosse seca. Em geral, tem evolução por período limitado, em geral de um a quatro dias, mas pode se apresentar forma grave. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta a vacina que protege contra os tipos A, B, C do vírus.

Meta vacinação

De acordo com o Ministério da Saúde, o Maranhão conseguiu bater a meta de vacinação contra a gripe no grupo prioritário, composto por idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional. A meta era de 90%, o Estado alcançou 90,14% do público-alvo. A porcentagem representa um total de 1.689.524 pessoas imunizadas. Ao todo, 1.858.500 doses foram distribuídas. A campanha de vacinação tinha sido prorrogada até ontem. Com o término da campanha, a vacina contra a gripe continua disponível nas unidades de saúde.

Nota da SES

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que, de modo preventivo, realiza capacitação técnica para profissionais de saúde dos municípios maranhenses para coleta e diagnóstico do vírus em circulação em nosso estado. A SES comunica que distribuiu doses da vacina contra a gripe para as 217 cidades, além de fomentar a ação das gestões municipais para garantir a vacinação do grupo prioritário, como recomenda o Ministério da Saúde, sendo esta uma das formas mais eficazes de prevenir os casos mais graves da doença. No Maranhão, 180 municípios atingiram a meta de 90% de cobertura vacinal, correspondendo a 82,94% do estado imunizado. Foram 1.336.922 doses aplicadas da vacina contra gripe.

Por fim, a secretaria, também, realiza o abastecimento de medicamentos para as 18 Regionais de Saúde e Região Metropolitana para tratamento dos pacientes acometidos pela gripe, além de estimular a notificação e a realização de exames nas unidades de todo Maranhão, seja pública ou particular.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte