Política | Eleições 2018

PCdoB tenta harmonizar base oferecendo suplência para o PT

Petistas pressionam por vaga na chapa majoritária e comunistas tentam resolver o problema oferecendo as primeiras suplências das candidaturas ao Senado de Weverton Rocha e Eliziane Gama
16/06/2018 às 10h00
PCdoB tenta harmonizar base oferecendo suplência para o PTMárcio Jardim é um dos que mais pressiona Flávio Dino por vaga na majoritária ao PT (Arquivo)

O comando do PCdoB Maranhão fez nesta semana um movimento para tentar debelar a crise com o Partido dos Trabalhadores (PT).
Os petistas – sobretudo as alas não ligadas ao Palácio dos Leões – têm exigido uma vaga na chapa do governador Flávio Dino (PCdoB) como forma de confirmar o apoio ao seu projeto de reeleição.

Como o governo já decidiu que o vice-governador Carlos Brandão (PRB) será novamente candidato a vice e que os dois candidatos a senador serão Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), ao PT foram oferecidas as duas suplências de senador da parlamentar popular socialista.

O partido ainda não declarou se aceitou, ou não, a proposta. Mas, segundo apurou O Estado, a ideia não agradou aos dissidentes do Palácio dos Leões.

Se manifestou somente o pré-candidato ao Senado pelo PT, Márcio Jardim (ex-secretário de Esportes do governo Dino). Ele disse que não aceita ser suplente de qualquer candidatura.

"Da minha parte, não sou candidato a suplente de ninguém", disse Jardim.

Para muitos petistas, aceitar a candidatura de Eliziane Gama ao Senado é ir de encontro com o que vem determinando a direção nacional da legenda.

De acordo com os petistas, a direção nacional não quer aliança com a pré-candidata a senadora pelo grupo de Dino porque ela causou prejuízos políticos ao PT durante sua passagem pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras.

Como membro da CPI, Eliziane aprovou convocações de petistas de ponta na sigla e ainda tentou levar o ex-presidente da República, Luiz Inácio da Silva.

Prévias – Entre os que defendem que o PT tenha um candidato a senador na chapa comunista, uma alternativa já tem sido posta em debate, caso não seja possível indicar um companheiro para o governador.

A ideia é lançar uma chapa chamada “camarão”, sem candidato a governador, apenas com nomes ao Senado. Para isso, trabalham pela realização de prévias no partido.

]Os nomes para a disputa interna seriam: Márcio Jardim, Nonato Chocolate, Luís Fernando – presidente do PT em Imperatriz; e Adriana Oliveira, presidente da CUT no Maranhão.

Eliziane conta com apoio do governador

Enquanto uma banda do PT ainda pressiona por uma vaga ao lado do governador Flávio Dino (PCdoB), o comunista segue dando mostras de que sua intenção é mesmo confirmar a chapa com a participação da deputada federal Eliziane Gama (PPS).
Depois de gravar um vídeo chamando a parlamentar de “nossa senadora”, o governador divulgou em suas contas nas redes sociais um convite para o lançamento da pré-candidatura de Gama ao Senado.
Na imagem, ele aparece lado a lado com a pré-candidata. E afirma: “Eu estarei lá”.
O evento ocorre neste sábado, 16, num hotel em São Luís.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte