Apatia

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h31

Desde o fim do mês de março notícias e críticas às nomeações de capelães no sistema de Segurança do governo de Flávio Dino vêm sendo difundidas. No início do mês passado - logo no dia 2 -, a nomeação de 50 pastores evangélicos, principalmente, ganhou as pautas da imprensa nacional. Depois disso, vieram representações acusando o governador do Maranhão de abuso de poder político e religioso. Isso ocorreu no fim de março.
Até agora, a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) pediu apenas explicações a Flávio Dino sobre as nomeações.
Sem obstáculos maiores, o governador e seus aliados religiosos se mantêm firmes no propósito que levou à criação de mais de 40 cargos de capelão para o sistema de segurança. O fato mais recente a respeito foi de um culto (com a presença de aliados do governador) sendo conduzido pelo líder do Ministério Apostólico Ágape para as Nações.
Nesse culto, o capelão dos bombeiros louvou o nome de Flávio Dino. “Nós queremos orar pelo governador. Esse governador que o Maranhão levantou e que nós lutamos - eu, o Porto, o Edivaldo e o nosso nome está escrito na história - para ver um Maranhão melhor”, disse o pastor.
E assim, Dino e seus aliados de todas as ordens seguem com práticas de autofavorecimento que podem deixar o processo eleitoral desequilibrado.

Parecer
Lembrando que o uso do poder religioso já foi usado para mostrar que há crime eleitoral em parecer do irmão do governador Flávio Dino, o procurador eleitoral, Nicolao Dino.
Em 2014, Nicolao defendeu a inelegibilidade do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, quando este se candidatou ao governo carioca.
“A liberdade religiosa não permite que lideranças clericais comprometam a normalidade e a legitimidade das eleições, notadamente quando buscam amparo na autoridade espiritual para subjugar fiéis”, disse Nicolao Dino em seu parecer.

Instabilidade
O deputado estadual Adriano Sarney (PV) protestou contra a PEC que reduz de seis para três meses do término do mandato do governador a vedação para alienação e cessão de bens do Estado.
A PEC foi aprovada em primeiro turno na Assembleia. Para o deputado, a proposta poderá trazer instabilidade às eleições.
Na prática, amplia a possibilidade de um governador, em fim de mandato, vender propriedades do governo e pode, eventualmente, conflitar-se com inciso da Lei das Eleições que trata de condutas vedadas aos agentes públicos em campanha eleitoral.

Manifestação
Sobre impasse recente no PSDB, Roberto Rocha se pronunciou. Ele garante que o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, tem legitimidade para ponderar sobre o partido.
A posição do senador diz respeito às declarações recentes de Zé Reinaldo. O deputado afirmou que Madeira estaria fazendo o jogo do Palácio dos Leões ao criticar a aproximação de Tavares com o deputado Eduardo Braide (PMN).
O fato é que os tucanos ainda terão muito o que conversar para acertar as arestas. Se não chegarem a um acordo, quem deverá perder mais será Zé Reinaldo, caso não mude de posição.

Ainda em silêncio
Enquanto os envolvidos no imbróglio tucano estão se posicionando, o pivô do conflito, Eduardo Braide, permanece em silêncio.
O deputado, que por duas vezes teve sua pré-candidatura ao governo anunciada por Zé Reinaldo Tavares, não diz nada sobre a disputa eleitoral.
Muito menos a respeito da possibilidade de Tavares ter dois candidatos ao governo. Ao que tudo indica, Braide deve estar esperando o momento certo para se posicionar.

Desistência
O secretário estadual de Saúde, Carlos Lula, decidiu desistir de um de seus habeas corpus impetrado no Superior Tribunal de Justiça (STJ).
Lula é alvo de investigação da PF no âmbito da Operação Sermão aos Peixes, por suposta fraude numa licitação da UPA de Chapadinha.
No STJ, em decisão monocrática, os dois pedidos de habeas corpus já haviam sido negados. Os dois recursos ainda iriam para o pleno. Mas a defesa de Lula decidiu desistir de um. Por quê será?

Transmissão
A Câmara Municipal de São Luís passará a transmitir a partir de amanhã boletins informativos pela rádio Mirante FM.
Os boletins, sob o nome de Câmara News, trarão informações a respeito do trabalho desenvolvido pelos vereadores.
Além da Rádio Mirante FM, outras três emissoras de rádio farão transmissão do Câmara News. A previsão é que cerca de 6 milhões de ouvintes sejam alcançados.

DE OLHO

R$ 1,4 bilhão já foram gastos, em 2018, com pagamento de parcelas de empréstimos feitos pelo governador Flávio Dino. Ao todo, nos últimos três anos, o comunista já pediu mais de R$ 1 bilhão em “parceria em financiamento”.

E MAIS

• O filho do ex-governador Jackson Lago, o médico Igor Lago, é um dos defensores da chamada terceira via nas eleições de 2018.

• O deputado Edilázio Júnior (PSD) voltou a criticar o governo Flávio Dino afirmando que o Maranhão vive em situação de “insegurança jurídica”.

• As críticas do parlamentar dizem respeito ao episódio recente de censura a manifestação do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) que teve outdoor retirado por decisão judicial após ação de Dino contra a entidade.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.