Política | Farra de Capelães

Governo diz que criou somente seis vagas de capelão na PM

Em nota oficial, Secap afirma que governo manteve média de gestões anteriores de criação de cargo de capelão
Carla Lima/Subeditora de Política06/05/2018 às 07h43
Governo diz que criou somente seis vagas de capelão na PMFlávio Dino estreitou relações com membros da Assembleia de Deus distribuindo vagas de capelão para pastores (Governo do estado)

SÃO LUÍS - O governo estadual, em nota enviada pela Secretaria Estadual de Comunicação e Articulação Política (Secap), informou que o governador Flávio Dino criou somente seis vagas de capelão para a Polícia Militar mantendo a média de gestões anteriores.

A afirmação oficial do governo não condiz com a verdade. O cargo de capelão da Polícia Militar foi criado em abril de 2009 ainda no governo de Jackson Lago. As 14 vagas foram divididas uma para tenente coronel, duas de major, quatro de capitão e sete de 1º tenente.

Na gestão de Roseana Sarney não foram criadas quaisquer vaga. O que ocorreu foram nomeações para as vagas já existentes.

Então, as novas vagas criadas por Dino não condiz com qualquer média de gestões anteriores.

A nota da Secap também diz que no Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Sistema Prisional foram criadas conforme a Constituição Federal para atender os servidores que, segundo o governo, aumentou em 50% o quadro.

O fato é que antes do governo de Flávio Dino não existia a figura de capelão para o Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Sistema Prisional. No caso da Civil, a criação ocorreu já este ano quando os deputados governistas aprovaram projeto de lei do Poder Executiva que previa a criação de 10 vagas de capelães para a PC.

Anúncio - Ano passado, durante evento da Assembleia de Deus, o governador Flávio Dino informou os pastores e fiéis presentes que ele criou 36 vagas de capelão no órgãos do sistema de segurança do Maranhão.

Ele chegou a se vangloriar de ter nomeado um pastor o primeiro coronel da Polícia Militar, cargo que na Lei 8950/2009 não estava previsto.

Outra revelação que o comunista fez aos pastores da Assembleia de Deus é que ele criaria mais 10, como realmente ocorreu em março deste ano.

Procuradoria

Devido ao aumento considerado do número de capelães, a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) pediu explicações ao governo para informar os motivos que levou o governador a criar tantas novas vagas do cargo no sistema de Segurança do Estado.

Flávio Dino tem até o dia 6 deste mês para responder aos questionamentos do procurador regional eleitoral, Pedro Henrique Castelo Branco.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte