Estado Maior

Rejeitado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h31

O secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, sentiu no fim de semana o peso da rejeição.
Investigado pela Polícia Federal – que apura, no âmbito da Operação Sermão aos Peixes - seu envolvimento em suposta fraude a licitação na UPA de Chapadinha – ele tornou-se persona non grata para algumas entidades e categorias do estado.
E isso ficou claro em dois episódios.
O primeiro deles envolve a classe médica. Diante do inferno astral do titular da SES, alguns médicos, liderados pelo ex-secretário Marcos Pacheco, decidiram marcar um ato de solidariedade ao Lula maranhense na sede do Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA).
Estava tudo certo para ocorrer hoje, mas o evento precisou ser desmarcado depois que médicos reagiram contra o evento. Um dele, Érico Cantanhede, fez uma manifestação pública nas redes.
- Como médico não posso concordar que seja realizado um ato de apoio à sua pessoa no auditório do CRM [...], não só pelas denúncias envolvendo a pasta da Saúde [...]. Talvez o ponto culminante para todo esse grau de revolta da classe médica se deve às promessas de campanha feitas e não cumpridas nesse mesmo auditório do CRM pelo atual governador em relação à nossa categoria -, disse.
O ato, então, foi remarcado para um auditório na sede da OAB-MA. Mas lá também, segundo a assessoria da entidade, não ocorrerá.

Sem política
Envolvido em denúncias de corrupção na Saúde, o secretário Carlos Lula tomou uma decisão nas últimas semanas.
Segundo apurou a coluna, ele não tem atendido políticos na sede da SES. Por lá, só conversas com técnicos.
A medida foi efetivada depois de o nome dele aparecer em citações do médico Mariano de Castro, citado pela PF como operador de um esquema de R$ 18 milhões na Saúde e encontrado morto há 10 dias.

Engana quem?
O ex-deputado Ricardo Murad (PRP) reagiu à tentativa do governador Flávio Dino de eximir-se de responsabilidade no caso da operação da PM para “fichar” lideranças políticas de oposição.
Após a repercussão dos memorandos ordenando a espionagem, o comunista mandou avisar que exonerou o coronel de Barra do Corda.
- Quem você pensa que engana? Dizer que mandou demitir o tenente-coronel vai resolver o crime? Relembre o que você fez em Coroatá -, disse Murad, citando a eleição de 2016.

“Injustiça”
A exoneração do comandante de Barra do Corda, coronel Antônio Markus da Silva Lima, provocou reação.
Por meio das redes sociais, a esposa dele, Elaine Neves, classificou de “injustiça” a decisão tomada pela cúpula da corporação.
Na sexta-feira, 20, em contato com O Estado, o oficial garantiu que não assinou a ordem para fichar membros da oposição. - Pegaram minha assinatura e colocaram no documento -, disse.

Por pouco
O acidente com um helicóptero, em que morreram três médicos e um investigador da Polícia Civil, no início do mês de abril, por pouco não tornou-se uma tragédia maior.
O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) informou que, ao se aproximar do local, para resgate, a hélice do helicóptero do CTA atingiu arbustos, no momento do pouso.
Por precaução, o piloto retornou a São Luís com os quatro tripulantes a bordo. "A aeronave teve danos leves. Todos os ocupantes saíram ilesos", diz o relato.

Receptadores
A procuradora da República Carolina da Hora, do MPF-MA, explicou em entrevista coletiva por que foi oferecida delação premiada ao soldado Fernando, acusado de participar da quadrilha de contrabando desbaratada em operação realizada no final do mês de fevereiro, em São Luís.
Segundo ela, viu-se nele a oportunidade de descobrir quem receptava as mercadorias.
- O interesse era descobrir fatos que não estão denunciados. [...] Qual é a destinação, quem é o receptador dessas mercadorias ilícitas, contrabandeadas, autênticas, com sonegação de IPI -, destacou.

DE OLHO
4 anos

é o tempo que os policiais civis do Maranhão alegam estar sem reposição inflacionária; eles cobram o governo Flávio Dino.

Agora vai?
Vereadores ouvidos pela coluna no fim de semana acreditam que desta semana não passa a eleição para a Mesa Diretora da Câmara de São Luís.
O presidente da Casa, Astro de Ogum, tentou marcar o pleito para agosto, após decisão do desembargador Jamil Gedeon, do TJMA.
Mas, citando pontos da Lei Orgânica do Municípios, o PTB voltou a acionar a Justiça e conseguiu nova decisão do juiz Marcelo Matos e Oka, para que a eleição ocorra em 48 horas.

E MAIS

• O MPF-MA não deu crédito ao delator que acusou o secretário Jefferson Portela (Segurança) de tentar direcionar depoimento para acusar um deputado e um delegado.

• Aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) seguem inseguros quanto ao desempenho do comunista e insistem em espalhar fake news sobre a pré-candidata Roseana Sarney (MDB).

• Em meio aos vários escândalos envolvendo o Governo do Estado, uma pesquisa eleitoral caiu como uma bomba no Palácio dos Leões neste fim de semana.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.