Cidades | Abordagens

Mais de 28 mil condutores foram abordados em fiscalizações do BPRv

Do total, 485 condutores foram autuados por estarem alcoolizados, segundo o órgão; número é referente ao período de janeiro a abril deste ano
Daniel Júnior / O Estado19/04/2018
Mais de 28 mil condutores foram abordados em fiscalizações do BPRv Batalhão de Polícia Rodoviária do Maranhão fica localizado no São Cristóvão; equipes realizam blitze (Biné Morais / O ESTADO)

O Batalhão de Polícia Militar Rodoviária do Maranhão (BPRv) abordou 28.261 motoristas, de janeiro a abril deste ano, de acordo com dados contabilizados pelo órgão. Do total, segundo o BPRv, 485 condutores foram autuados por estarem alcoolizados; quatro por estarem com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e a Certidão de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) falsificadas, além de 14 veículos recuperados.

Em relação ao número exato de veículos removidos, nos quatro primeiros meses do ano, o BPRv informou que quem executa a estatística é a empresa responsável pelas remoções e leilões. O Estado fez o contato com a tal empresa. Porém, esta alegou que só poderia repassar os dados se tivesse autorização do cliente, no caso o Governo do Maranhão.

Na última terça-feira, 17, o coronel Eurico Alves assumiu o comando do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária do Maranhão (BPRv) após o órgão ficar sem comandante desde o início do mês, quando o tenente-coronel Carlos Augusto Magalhães foi exonerado, em meio a uma polêmica envolvendo o vereador de São Luís Edson Gaguinho (PHS), que alegou ter sido abordado de forma truculenta por uma guarnição do BPRv, na Vila Janaína, bairro onde mora.

O Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (BPRv) tem, entre as funções, executar o policiamento ostensivo de trânsito rodoviário no estado. Porém, o órgão foi apontado como truculento, devido ao grande número de autuações executadas e a forma de abordagens.

A situação ficou polêmica quando policiais vistoriaram o veículo, uma caminhonete Hilux, de um vereador de São Luís, após interceptá-lo em via pública, na Vila Janaína.

Nos dias que se seguiram à abordagem, o vereador usou o espaço de emissoras de rádio e a tribuna da Câmara Municipal para denunciar o abuso de autoridade do qual alegou ter sido vítima. Em nota pública, a Câmara Municipal repudiou a atitude agressiva dos policiais para com o vereador e cobrou providências da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte