Na conta comunista

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h31

O governo Flávio Dino (PCdoB) usa do seu expediente mais comum, a truculência, para tentar calar a imprensa que noticia a morte do médico Mariano de Castro e a relação desta morte com a corrupção descoberta pela Polícia Federal na gestão comunista. Cria cortinas de fumaça, discutindo gerenalidades para encobrir o fato principal. E esquece que não apenas Mariano de Castro, mas diversas mortes, podem ser atribuídas, de uma forma ou de outra, à incompetência ou à corrupção em seu governo.
O jornalista Marco Aurélio D’Eça abordou em seu blog quatro dessas mortes, incluindo a de Mariano. Citou o mecânico Irialdo Batalha, executado em praça pública em Vitória do Mearim, por um vigilante que fazia as vezes de policial, com a conivência dos próprios PMs. Também citou o empresário Francisco Edinei Lima, morto após ser trancado em uma jaula com sol a pino, na delegacia de Barra do Corda. E o estudante Fagner dos Santos, assassinado durante uma destrambelhada operação policial de desocupação, no Turu.
Mas há um outro caso não citado por D’Eça e que é tão rumoroso quanto todos esses outros: o suicídio do delegado Alex Aragão, que servia em Coroatá, mas foi transferido para São Raimundo das Mangabeiras por retaliação do governo. Curiosamente, assim como Mariano de Castro, Alex Aragão estava em Teresina quando decidiu dar cabo à própria vida; e também coincidentemente, deixou uma carta nunca tornada pública pela Polícia, assim como a de Mariano.
Flávio Dino, seus auxiliares e seus agentes na imprensa podem atacar, xingar e agredir a imprensa livre e a liberdade de expressão que lhes causam asco; só não podem ignorar todas essas mortes ocorridas durante seu mandato. Mortes que poderiam ser evitadas. Se não houvesse tanta incompetência e corrupção no seio do governo.

Um fato apenas
Assessores de imprensa, jornalistas vinculados ou financiados pelo Palácio dos Leões e militantes ceguetas do governo comunista passaram o dia de ontem agredindo a TV Mirante.
Motivo: o programa Bom Dia Mirante mostrou a coincidência de um Habeas Corpus do Secretário Carlos Lula ter sido publicado pelo STJ no mesmo dia em que Mariano de Castro foi encontrado morto.
Ficou evidente a manifestação clara de patrulha à imprensa livre com questiúnculas menores, a fim de esconder o principal, que é a morte do médico vinculado à corrupção no governo.

Abaladas
O Estado entrou em contato, ontem, com as duas irmãs do médico Mariano de Castro, morto na última quinta-feira, 12.
Além de solidarizar-se com elas, quis saber, entre outras coisas, se houve manifestação do governo e se há disposição em divulgar a carta deixada pelo médico.
As duas deixaram claro o abalo ainda grande pela perda do irmão e disseram que não pretendem se manifestar, pelo menos neste momento.

Polícia Federal
A Associação dos Delegados de Polícia Federal emitiu nota de apoio às investigações da operação Sermão aos Peixes, que descobriu o desvio de R$ 18 milhões no governo Flávio Dino.
De acordo com os delegados da regional maranhense, todas as fases da operação foram baseadas “em competente e técnico trabalho de investigação e perícia”.
A Polícia Federal vai acompanhar, inclusive, os desdobramentos da investigação da morte do médico Mariano de Castro e suas duas cartas.

Negativas
O advogado Jorge Arturo explica que não foi o responsável pelo vazamento da carta-denúncia do médico Mariano de Castro, que implodiu o governo Flávio Dino.
- Só tomei conhecimento dessa carta quando a vi na imprensa. E na carta-suicídio, o próprio Mariano diz para quem deu esse “documento”.
Jorge Arturo diz também que nunca aconselhou o ex-cliente a fazer delação premiada porque considera este “um instituto que já nasceu falido”.
Jogo judicial
Uma guerra de liminares começou a influenciar no processo de eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Luís.
No sábado, o PSL – vinculado ao presidente Astro de Ogum (PR) - conseguiu uma liminar do desembargador José Jorge Figueiredo dos Anjos, determinando a suspensão da eleição da Casa, prevista para o domingo, 15.
Ontem, o PTB, que apóia a candidatura de Osmar Filho (PDT), conseguiu do desembargador Jamil Gedeon Neto, a derrubada desta liminar.

Definitivo
Com a decisão de Gedeon, a Câmara Municipal tem agora que marcar a eleição da mesa, cujo prazo previsto no Regimento Interno já foi estourado.
O problema é exatamente a guerra de liminares, que tende a se estender indefinidamente se a própria Justiça não tomar uma decisão definitiva.
As duas partes esperam essa decisão definitiva na sessão do pleno, nesta quarta-feira, 18.

DE OLHO

R$ 400 mil Foram encontrados em cheques na casa do operador do desvio de R$ 18 milhões da Saúde, Mariano de Castro, morto semana passada

E MAIS

• Enquanto seus aliados brigam na imprensa e na Justiça, os vereadores Astro de Ogum e Osmar Filho tentam construir uma chapa única para a eleição da Câmara.

• O vice-governador Carlos Brandão e o líder governista Rogério Cafeteira disputam uma suposta vaga a ser aberta no Tribunal de Contas do Estado.

• A desembargadora Mônica Sifuentes, do TRF, nunca arquivou a denúncia de corrupção contra o secretário Carlos Lula, mas apenas uma petição feita por ele próprio.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.