Esporte | Estadual-2018

Moto segura o Imperatriz e é campeão maranhense

Mesmo sob pressão no estádio Frei Epifânio, o Papão segurou o Cavalo de Aço, perdeu por 2 x 1, e conquistou o seu 26º título do Estadual
08/04/2018 às 20h56
Moto segura o Imperatriz e é campeão maranhense O Moto venceu o primeiro jogo em São Luís por 3 x 0 (Lucas Almeida / L17 Comunicação)

SÃO LUÍS - Com um início de temporada muito turbulento, marcado por uma profunda crise financeira, saída de jogadores, salários atrasados, atletas barrados em porta de hotel, o Moto Club deu a volta por cima e conquistou seu 26º título do Campeonato Maranhense. O Rubro-Negro perdeu por 2 x 1 para o Imperatriz, mas, como havia vencido em São Luís por 3 x 0, ficou com a taça. Agora as duas equipes voltam as suas atenções para a Série D do Campeonato Brasileiro. No entanto, antes disso os motenses vão fazer muita festa.

Os gols da partida foram marcados por Daniel Barros e Kanu para os donos da casa e Ricardo Maranhão descontou para os visitantes.

Cavalo foi pra cima

Precisando de quase um milagre para conquistar seu terceiro título maranhense, o Imperatriz partiu para cima logo no início da partida. Com um minuto de partida, o meia Kaká tentou arriscar um chute de fora da área, mas mandou para fora. Em seguida, em cobrança de fata, Rubens cruzou a bola na área, Michel acertou uma cabeçada e Rodrigo Ramos agarrou com tranquilidade.

Ainda retraído em seu campo de defesa, o Papão mostrou reação e, aos quatro minutos, o volante Bruno Menezes aproveitou rebote e chutou, porém errou a direção e mandou para fora. Depois de uma intensa briga pela bola no meia de campo, aos 10 minutos, o time da casa voltou a assustar a defesa rubro-negra: Rubens recebeu um passe de Júnior Chicão e mandou um chute para uma boa defesa do goleiro motense. Logo no minuto seguinte, Bruno Menezes voltou a arriscar para o Moto, no entanto errou novamente.

Com mais volante de jogo, porém um pouco sem organização, o Cavalo de Aço teve uma boa chance aos 21: A bola sobrou para Junior Chicão, que tentou o chute sozinho, sem marcação, mas falhou no arremate e mandou pela linha de fundo. A torcida cavalina foi à loucura! Rubens testou novamente Rodrigo Ramos e, aos 21 minutos, chutou mais uma vez e não conseguiu superar o goleiro motense. Bastante acionado, Júnior Chicão errava a maioria das jogadas e deixava o estádio tenso. Os visitantes, mesmo recuados, se defendia com firmeza.

Com 31 minutos de jogo, Chicão voltou a errar. Gabriel levantou a bola, mas o camisa 9 tentou o cabeceio e a bola saiu pelo lado do campo. Aos 36, a chance foi de Adauto. Depois de um bom lançamento de Rubens, o atacante invadiu a área e Rodrigo Ramos saiu para fazer a defesa. Neste lance, o capitão do Moto se chocou com o adversário e, com um corte na cabeça, teve de ser atendido. Mesmo depois dos cuidados médicos, o goleiro chegou voltar ao campo, mas não conseguiu continuar e teve de ser substituído por Mateus. O Paredão deixou a partida chorando.

Já nos acréscimos, aos 46, Rubens cobrou escanteio e Anderson acertou a cabeçada para a defesa de Mateus, que fazia seu primeiro jogo como profissional na carreira. Por causa da paralisação para o atendimento de Rodrigo Ramos, a partida foi até os 55 minutos, mas o time dom Imperatriz não conseguiu furar a defesa do Moto, que praticamente não atacou nesta primeira etapa. O goleiro, Jean, por exemplo, não fez nenhuma defesa perigosa.

Moto segue pressionado

Assim como no primeiro tempo, o Imperatriz iniciou a segunda etapa tentando pressionar o adversário. Logo no primeiro, Renan Luís arriscou chute de fora da área e a bola passou perto. Muito isolado, o atacante Val Barreto até tentava se movimentar, mas ficava preso na defesa do Cavalo de Aço. Somente aos 10 minutos da segunda parte do confronto a pressão dos donos da casa surtiu efeito. Depois de uma confusão na área o árbitro marcou pênalti. Mesmo após Rubens mandar a bola para o fundo das redes, Paulo Sergio Santos Moreira mandou voltar, para reclamação dos jogadores do Imperatriz.

Depois da confusão, Daniel Barros foi para a cobrança e fez o primeiro: 1 x 0 para o Imperatriz. Com o gol, o time da região tocantina foi para cima no embalo da torcida. Aos 18 minutos, Rubens, o jogador mais perigoso da partida, mandou outro petardo na direção na direção do gol de Mateus e errou o alvo.

Como o Moto seguiu recuado, a equipe do técnico Vinícius Saldanha manteve a pressão e aos 20 minutos chegou ao segundo tento: Kanu, que havia entrado no segundo tempo, escorou cruzamento de Rubens e ampliou: 2 x 1.

Mais próximo do placar favorável, já que com um 3 x 0 levava o título, o Imperatriz se lançou ao ataque. No entanto, apesar de se manter no setor ofensivo, o time da casa levou um banho de água fria aos 28 minutos. Ricardo Maranhão aproveitou cruzamento e, depois de acertar o travessão, pegou o rebote e diminuiu: 2 x 1. O estádio foi silenciado.

Sem o mesmo ímpeto por causa do desgaste, o Imperatriz tentava chegar ao terceiro gol insistindo nas bolas paradas. Mas, bem postada, a defesa do Papão não deixava a bola passar. Aos 41, Adauto cobrou falta com perigo, mas não acertou a meta de Mateus. Se defendendo, o Rubro-Negro perdeu o atacante Val Barreto, que foi expulso. Mas, para alegria da torcida da capital, não havia mais tempo para nada: o Moto levou o seu 25ª título do Campeonato Maranhense.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte