Geral | Fé e devoção

Emoção e homenagens ao Anjo da Guarda marcaram Via Sacra

Neste ano, os organizadores do evento apresentaram algumas novidades que foram mostradas logo nas primeiras cenas da da paixão e morte de Jesus; cerca de 20 mil pessoas acompanharam a apresentação do Grupo Grita
Thiago Bastos / O Estado30/03/2018

SÃO LUÍS - Os últimos atos da vida de Jesus Cristo foram retratados pelo Grupo Grita, em mais uma apresentação da Via Sacra, realizada ontem,29, em São Luís. Segundo estimativa, cerca de 20 mil pessoas acompanharam a exibição teatral ao ar livre. Hoje,30, haverá nova encenação da Via Sacra, cujo tema é “Comunidade: Um terço de memória”, a partir das 18h30.

Para este ano, os organizadores prepararam algumas novidades que foram mostradas logo nas primeiras cenas. A começar por uma homenagem ao bairro Anjo da Guarda, que sedia a Via Sacra há 37 anos e que, em 2018, completou meio século de fundação. A apresentação contou com, pelo menos, 100 crianças, na Praça Recanto da Paixão, onde são exibidas as cenas iniciais da Via Sacra. Foram retratados atos importantes para a consolidação de um dos bairros mais populares da cidade, situado na área Itaqui-Bacanga. Na introdução, foi retratado o incêndio – registrado em 1968 – que atingiu casas no Goiabal, bairro que originou o Anjo da Guarda.

Após as homenagens, começaram as referências reais à história de Cristo. O auge desta etapa inicial da encenação foi o emocionante Sermão da Montanha. O ator Jorge Smith – que interpreta Jesus há 18 anos – chamou a atenção pelo domínio textual e interpretação do personagem principal da Via Sacra.

Às 19h30 em ponto, os espectadores e atores em geral se dirigiram pela avenida Dinamarca, onde foi encenada a chegada de Jesus em Jerusalém. No ato seguinte, Jesus expulsou os vendilhões do templo em um palco montado no Largo do Teatro Itapicuraíba. Na praça do Anjo, o público viu cenas importantes para a encenação, exibidas em um palco giratório cujo ambiente se modificava rapidamente. As principais cenas foram o Lava-Pés e a Santa Ceia, além da condenação de Jesus.

Um dos pontos mais destacados do espetáculo foi a Via Crucis, quando Jesus sofre todas as humilhações, após ser condenado. Sob o som de música dramática, Jorge Smith retratou as dores sofridas por Jesus a cada chicoteada dada pelos soldados.

Por fim, ocorreu o enforcamento de Judas, a Anunciação e a Ressurreição. No total, foram quase cinco horas de apresentação que, no fim, contou com uma oração, feita especialmente para o espetáculo, composta pelo músico e ator Gustavo Correia. “Gostaria de agradecer pela presença de todos e dizer que esta Via Sacra foi para vocês”, disse Vinícius de Azevêdo, um dos diretores-gerais da apresentação.

Números

- 37 anos de apresentação Via Sacra

- 5 horas de apresentação

- 2.500 pessoas integram o elenco da encenação

- 20 mil pessoas acompanharam a apresentação inicial

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte