Cidades | Crianças e adolescentes

Enfrentamento às drogas é tema de seminário em SL

Evento foi realizado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA); objetivo foi avaliar e discutir políticas públicas sobre o uso
Daniel Júnior / O Estado29/03/2018
Enfrentamento às drogas é tema de seminário em SLSeminário municipal sobre drogas foi realizado ontem; foram discutidas políticas públicas de enfrentamento (Biné Morais / O ESTADO)

Com o objetivo de analisar, formular e discutir políticas públicas de combate ao uso de drogas entre crianças e adolescentes de São Luís, conselheiros tutelares, profissionais do direito, da saúde e educação e a sociedade civil se reuniram ontem, no I Seminário Municipal Sobre Drogas, realizado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da capital maranhense. A reunião ocorreu no auditório do Orienta Consultoria, no Renascença.

“Estamos aqui hoje reunidos com um único propósito, que é encontrar políticas públicas ideais pra combater o uso de drogas entre as crianças e os adolescentes. Fizemos uma análise do que já conseguimos executar, como palestras nas escolas, conscientização, atendimentos e vamos formular algo mais eficiente. Temos a oportunidade de entender a necessidade de todos os envolvidos para enfrentar esse mal social”, explicou Janicelma Fernandes, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Luís.

O evento, que teve grande participação, ocorreu durante todo o dia, com debates entre os participantes e representantes dos órgãos municipais e estaduais de combate às drogas. Conselheiros tutelares tiveram a oportunidade de se posicionar e professores trataram do enfrentamento nas escolas.

“A discussão ainda é atravessada pelo medo, pelo moralismo e desconhecimento do abuso no uso de drogas como um transtorno mental que precisa ser prevenido e cuidado, visando à inserção social dos usuários. É preciso desconstruir mitos e abrir espaço para a reflexão que chegue até a raiz da questão e permita uma análise crítica e efetiva dos modelos vigentes para garantir os direitos humanos de crianças e adolescentes do município de São Luís, do Maranhão e do Brasil”, finalizou Fernandes.

SAIBA MAIS

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada em 2016, revelou o aumento do acesso precoce a bebidas alcoólicas e a drogas ilícitas entre alunos do 9º ano do ensino fundamental. Mais da metade dos jovens (55%, ou 1,44 milhão de alunos) relataram já ter tomado ao menos uma dose de bebida alcoólica, proporção superior aos 50,3% registrados em 2012.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte