Estado Maior

O temor é dele

20/03/2018

Aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) na imprensa, seus aliados na Assembleia e seus auxiliares diretos tentaram vender ontem, sem muita convicção, a ideia de que a entrada do deputado Eduardo Braide (PMN) na disputa pelo governo prejudica a oposição.
A falta de convicção é bem evidente neste discurso comunista porque mesmo os analistas mais inexperientes da política sabem que quanto mais candidatos competitivos na disputa, mais difícil será a vida do governador, que força a barra para tentar liquidar a eleição no primeiro turno. E quer evitar o segundo turno também porque sabe que não terá vida fácil em um confronto direto com um dos representantes da oposição.
Não apenas Eduardo Braide, mas todos os demais candidatos da oposição – a começar pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB), mas também Roberto Rocha (PSDB), Ricardo Murad (PRP) e Maura Jorge (Podemos) têm papel fundamental no embate com Flávio Dino, cada um a seu estilo, cada um dentro do seu perfil e cada um em uma frente de atuação própria, que incomoda o comunista e os seus.
E quanto mais os comunistas puderem evitar o crescimento dessas candidaturas, mais eles vão tentar transferir a responsabilidade. Só não conseguem convencer porque, nesse ponto, não trabalham com as pedras da realidade.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte