Cidades | Conscientização

Descarte irregular de lixo é problema maior no período de chuvas

Não basta apenas o poder público coletar o lixo descartado irregularmente pela cidade; população tem de se conscientizar e não fazer mais esse tipo de ação
17/03/2018
Descarte irregular de lixo é problema maior no período de chuvasLixo descartado em terrenos baldios e nas ruas termina entupindo galerias e causando alagamentos (Divulgação)

O período de chuvas traz um problema adicional para toda a população. O descarte inadequado do lixo é um dos fatores que causam o entupimento de bueiros. Além disso, provoca a redução da vazão das galerias de águas pluviais. Para minimizar os danos decorrentes dos temporais, a Prefeitura já vinha realizando obras de drenagem, limpeza de galerias e canais, coleta do lixo e outros serviços essenciais para evitar transtornos. Mas, para essas ações surtirem efeito, é fundamental a colaboração da população.
A capital maranhense deverá ter, em 2018, um dos invernos mais rigorosos dos últimos tempos. De acordo com dados do Laboratório de Meteorologia do Núcleo Geoambiental (NuGeo) da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), a previsão é de que o volume de chuvas deste trimestre (fevereiro, março e abril) ultrapasse em cerca de 15% a média histórica. Por isso, o descarte irregular de lixo pode causar mais problemas.
A presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, destaca que o descarte irregular do lixo pode provocar problemas para as próprias pessoas que adotam essa postura. "As chuvas arrastam uma grande quantidade de lixo para os bueiros e galerias. Isso provoca o entupimento desses equipamentos, com prejuízos imediatos para a população da localidade. Por isso, é essencial que as pessoas se conscientizem da necessidade do descarte adequado do lixo doméstico", afirma.
Com a redução da vazão das águas das chuvas, as localidades ficam sujeitas a alagamentos, o que pode provocar desde prejuízos materiais, como a perda de móveis e eletrodomésticos, e até mesmo danos na estrutura das casas e a proliferação de doenças, já que o lixo acumulado nas vias públicas atrai animais como moscas, ratos, baratas e mosquitos, vetores de doenças como o Aedes aegypti. "A água da chuva contaminada pode transmitir uma série de doenças e a contaminação acaba afetando os moradores que não fazem o descarte adequado de forma correta, trazendo prejuízos à saúde de todos", informa Carolina Moraes Estrela.

Conscientização
Somente no ano passado, as ações de remoção manual e mecanizada de resíduos que foram jogados em locais inadequados somaram 90 mil toneladas. Campanhas são realizadas durante todo o ano, por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, para conscientizar a população quanto a importância de jogar o lixo no lugar correto. Entretanto, a falta de conscientização da população sobre o descarte correto de resíduos continua sendo um fator determinante para o acúmulo de sujeira nos bueiros e os consequentes prejuízos.
Além dos entulhos jogados diretamente nas valetas, o lixo das ruas é carregado pela água da chuva até a rede de drenagem. Ao mesmo tempo em que causa transtornos de locomoção por toda a cidade, os alagamentos provocam, ainda, a degradação do asfalto da malha viária da capital.
O entupimento do sistema de drenagem tem efezitos, ainda, na rede de esgotamento da cidade e para o meio ambiente, pois o lixo vai das bocas de lobo para as galerias pluviais, das galerias para os canais, e dos canais para os rios da cidade.

Ações preventivas
Para minimizar os danos naturais decorrentes dos temporais, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), que já vinha fazendo obras de drenagem, limpeza de galerias e canais, intensificou os serviços com a chegada do período chuvoso, pois, com um volume de chuva tão intenso, o sistema de drenagem da cidade precisa fluir adequadamente para evitar inundações.
Para isso, o Município mobiliza diariamente máquinas retroescavadeiras para limpar canais e um sistema de caminhão hidrojato para sugar de locais mais difíceis - como galerias e bueiros -, o que é descartado em locais públicos e são levados pela ação dos ventos e da chuva para dentro desses dispositivos. Já foram construídos 30 quilômetros de rede de drenagem para o escoamento das águas das chuvas.
O Comitê Gestor de Limpeza Urbana também desenvolve um trabalho permanente para evitar problemas decorrentes do acúmulo de lixo pela cidade. A coleta domiciliar em São Luís é feita regularmente e a Prefeitura de São Luís mantém ainda um sistema de monitoramento que permite saber se o caminhão de coleta cumpriu toda a rota programada. Nove Ecopontos instalados na cidade - o 10º em construção - estão à disposição da população para o descarte de entulho e móveis velhos, justamente o que mais ocupa as vias públicas da cidade. Uma central de atendimento permite que cada morador possa informar possíveis falhas na coleta e até solicitar serviços de limpeza.
Mas, para que as ações de limpeza e desobstrução feitas pela Prefeitura surtam efeito e perdurem, é necessário o apoio da população, evitando o descarte irregular. "Muitas vezes, a desculpa para jogar lixo na rua ou deixar em qualquer lugar é que não tem lixeira por perto. Mas em alguns casos o que se percebe é que a falta não é de lixeiras, mas de conscientização dos moradores, pois não é raro ver a sujeira jogada no chão bem ao lado de um contêiner para o depósito de lixo. Por isso, nós sempre pedimos que a população colabore com o trabalho da Prefeitura, descartando o seu lixo doméstico corretamente", diz Carolina Moraes Estrela.

MAIS
Média histórica de chuvas em São Luís do trimestre fevereiro, março e abril: 1276,9mm
Previsão do trimestre fevereiro, março e abril para 2018 em São Luís: 1468,4mm

Como colaborar com a limpeza da cidade:
- Não jogue lixo ou entulho nas vias públicas, córregos, terrenos baldios, bueiros e encostas. Além de poluir a cidade, o lixo nas ruas entope bocas de lobo e pode provocar enchentes;

- No trânsito, respeite os cones de sinalização. Eles estão ali para proteger os varredores, que estão trabalhando para deixar a cidade mais limpa;

- Respeite os dias e horários de descarte do lixo para coleta, evite deixar seu lixo na rua por mais tempo que o necessário;

- Embale corretamente seu lixo, em sacolas resistentes, bem fechadas e de tamanho adequado, para evitar que elas se abram e espalhem o lixo nas vias públicas. Lixo não embalado, além de exalar mau cheiro, atrai animais que podem ser portadores de doenças;

- Proteja o vidro e outros materiais perfurocortantes (estiletes, pregos, lâminas etc) com material resistente antes de colocá-lo na sacola e pressione as tampas das latas para dentro. Esses materiais desprotegidos podem ferir o agente de limpeza, mesmo ele usando as luvas protetoras.

DENÚNCIAS
A população de São Luís pode denunciar casos de descarte irregular de lixo e terrenos baldios usados como "lixões" nos seguintes telefones:
0800 280 0234 - Blitz Urbana
0800 098 1636 - Comitê Gestor de Limpeza Urbana

Volume de lixo recolhido em São Luis
- 90 mil toneladas de lixo jogado irregularmente em vias públicas foram recolhidos pela Prefeitura de São Luís em 2018

- 282 mil toneladas de lixo residencial foram recolhidos pelos caminhões da coleta domiciliar em 2018

- 10.300 mil toneladas de lixo reciclável e entulho já foram recolhidos por meio dos Ecopontos em São Luís.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte