Edição Digital

PH

Pergentino Holanda

13/03/2018

Morreu a lenda da moda
O mundo da moda perdeu um gigante – no sentido figurado e literal da palavra. Hubert de Givenchy, o aristocrata francês de 1m98, que fundou a casa Givenchy, morreu aos 91 anos. Batizado Hubert James Marcel Taffin de Givenchy era filho dos marqueses Lucien e Béatrice Taffin de Givenchy. O avô tinha uma fábrica de tapetes e o seu interesse pela moda começou quando tinha 10 anos.
Aplaudido como o último grande nome dos anos de ouro da alta-costura, “Givenchy foi a quintessência de alta-costura francesa do pós-Guerra”, como pontuou a historiadora de moda Valerie Steele, diretora do museu do New York's Fashion Institute of Technology, citada pelo Los Angeles Times.
Nas redes sociais, a marca lembra agora o criador como “uma grande personalidade do mundo da alta-costura francesa e um cavalheiro que simbolizou o chique e a elegância parisienses por mais do que meio século”.
No universo de Givenchy, elegância era, aliás, a expressão máxima de estilo. Será difícil encontrar uma palavra para melhor descrever o trabalho e a postura do criador, à exceção, talvez, de simplicidade. A inovação não estava em peças vistosas, mas na melhor versão de uma peça tão simples quanto um vestido preto.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2018 - Todos os direitos reservados.