Cidades | ABANDONO

Lixo e mato afastam frequentadores da Praça da Bíblia

Falta manutenção na área e lixo está sendo descartado, possivelmente por moradores
Robert W. Valporto / O Estado10/03/2018

Com localização privilegiada, na Avenida Kennedy, com acesso ao Canto da Fabril e bairros próximos ao Centro, a Praça da Bíblia está abandonada. Um dos principais problemas no local é o acúmulo de lixo, que chama atenção pelo fato de, aparentemente, os próprios moradores promoverem o descarte no local. Além disso, restos de eletrônicos também foram descartados no local, como parte de um aparelho de TV, por exemplo.

O mato alto afasta os frequentadores da praça. Os moradores dizem que, mesmo antes do período chuvoso, essa já era uma realidade, e que a área é limpa apenas quando eles fazem mutirões.

O que foi confirmado pela comerciante Ana Maria Bastos, de 58 anos, que disse que costuma cuidar das plantas daquele espaço. “Os moradores que se juntam para cada um fazer uma coisa. Se não fizermos, ela fica do jeito que está. Eu cuido das plantinhas”, disse.

Ana Maria Bastos comentou ainda do sentimento de ver aquele espaço nas condições atuais. “Lamentamos bastante e considero muito triste o fato desse espaço ficar assim. Ali era para ser agradável, para que as pessoas frequentem mais vezes, o que não acontece tanto”, comentou.

Outro a tratar do problema foi o autônomo Antônio Gama, de 49 anos, que acredita que os donos dos quiosques instalados na praça deveriam fazer a limpeza da área. “Os comerciantes que são beneficiados com as vendas na praça deveriam fazer a limpeza da área. Alguns já fazem, mas boa parte, não. Não podemos só esperar o poder público”, frisou.

O Estado entrou em contato com a Prefeitura de São Luís para saber das medidas para o problema do abandono e se há algum projeto para recuperação da praça. Por meio de nota, o Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur) informou que a Praça da Bíblia vai ser incluída no cronograma de serviços de poda e roçagem, que já está em execução na capital maranhense.l

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte