Economia | Reserva federal

Dólar sobe em linha com exterior antes de discurso do presidente do Fed

O índice do dólar passou a subir moderadamente há pouco, também pesando nos ajustes iniciais frente o real, segundo um operador de uma corretora
Estadão Conteúdo27/02/2018 às 10h05
Dólar sobe em linha com exterior antes de discurso do presidente do FedÀs 9h37, o dólar à vista subia 0,19%, aos R$ 3,2323. (Divulgação)

BRASÍLIA - O dólar opera em alta frente o real nos primeiros negócios desta terça-feira (27), após três quedas seguidas, sob influência do viés positivo da moeda americana frente divisas ligadas a commodities. O índice do dólar (DXY) passou a subir moderadamente há pouco, também pesando nos ajustes iniciais frente o real, segundo um operador de uma corretora.

Às 9h37, o dólar à vista subia 0,19%, aos R$ 3,2323. O dólar futuro de março ganhava 0,25%, aos R$ 3,2330. Em Nova York, o índice do dólar tinha viés de alta (+0,02%) e a moeda americana subia ante o dólar australiano (+0,15%, o real (+0,21%), o peso chileno (+0,22%), a rupia indiana (+0,22%), o peso mexicano (+0,07%), a lira turca (+0,11%) e o rand sul africano (+0,76%).

Os investidores internacionais e daqui estão à espera dos discursos que o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, fará na Câmara, nesta quarta-feira (28), e no Senado americano, na próxima quinta-feira (1º).

Os analistas financeiros acreditam que Powell poderá manter o discurso "dovish" que vem sendo sinalizado pela instituição nos últimos dias. Mesmo assim, a cautela entre os investidores se faz presente, principalmente à medida em que novos indicadores econômicos locais confirmam o ritmo forte da economia americana

Sem impacto nos negócios, os agentes financeiros monitoram a maratona de entrevistas do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a rádios de vários Estados. Nesta terça foram dadas duas entrevistas para rádios de Campo Grande. Meirelles voltou a dizer, em entrevista à Rádio Globo local, que considera a hipótese de ser candidato à Presidência da República, mas que deve decidir apenas por volta do dia 7 de abril, prazo final para deixar seu cargo caso participe do pleito.

O ministro, contudo, não respondeu se estaria conversando com o MDB para possível filiação caso sua atual sigla, o PSD, não apoie sua candidatura. O secretário executivo Eduardo Guardia é, neste momento, o nome mais cotado para substituir eventualmente Henrique Meirelles no comando do Ministério da Fazenda, caso o ministro decida deixar o cargo.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte