Cidades | SUJEIRA

Descarte irregular de lixo na feira do João Paulo gera insatisfação

Mesmo com locais adequados para descarte, feirantes jogam lixo nas ruas atraindo muitos animais e mau cheiro
Natália Reis / O Estado26/02/2018 às 00h00

Comprar alimentos nas feiras de São Luís está cada vez mais difícil. A grande quantidade de lixo nas feiras tem causado muita insatisfação aos clientes e também para quem precisa passa pelo local diariamente.

A feira do João Paulo, na Rua Projetada, por exemplo, muitos dejetos se acumulam inclusive em locais próximos onde há venda de verdura, legumes e carnes, atraindo gatos, cachorros e até ratos.

Do começo ao final da rua o lixo toma conta. Ao entrar na via o cliente se depara com muita casca de milho, visto que os vendedores descascam o mesmo jogando ao chão o que não será mais aproveitado. O mesmo acontece mais a frente, próximo a entrada da feira, uma grande quantidade de legumes velhos e podres como tomate, batatas, limões entre outros são jogados fora do local adequado.

Alguns feirantes que descartam no local e se sentem prejudicados com a situação, como o senhor Mauricio Lídio. “É ruim poder vender as coisas nessa situação, por que muitas pessoas não querem nem parar para comprar por causa do mau cheiro, e assim acabo perdendo meus clientes”, relatou.

Além das frutas podres jogadas, garrafas pets, litros de cerveja, sofás e até vaso sanitário fazem parte do cenário. Segundo alguns clientes, o cenário é comparado a um “chiqueiro a céu aberto”, tendo a situação criada pelos próprios feirantes. Foi o que contou o frentista Werbeth Sousa Costa. “Infelizmente as feiras estão perdendo os clientes para a sujeira. E acredito que se continuar assim a tendência é cair mais ainda o fluxo de clientes”, disse.

Problemas

O ambiente sujo pode causar contaminação nos alimentos, ocasionando doenças. Os alimentos contaminados geram sintomas como vômitos, diarréia e inchaço abdominal, podendo variar de acordo com o micro-organismo que se desenvolve no alimento.

Por outro lado

Diante de tanta sujeira, alimentos podres e sem condições de serem consumidos muitas pessoas que não tem o que comer aproveitam o descarte dos alimentos como conte de alimento.

A equipe de O ESTADO andando pelas ruas da feira do João Paulo se deparou com moradores de rua e catadores de lixo se alimentando das frutas sujas e jogadas. O que para alguns é visto como incomodo para outros é visto como única saída para se manter alimentado.

Nota

Comunicados sobra a situação da feira no Bairro do João Paulo o Comitê Gestor de Limpeza Urbana informou que a coleta e varrição na Feira do João Paulo é feita diariamente e que irá verificar se está havendo alguma irregularidade na prestação do serviço. O órgão pediu ainda aos feirantes e consumidores que não descartem qualquer tipo de resíduo gerado na feira de forma irregular, acondicionando-os sempre de maneira adequada para facilitar a limpeza do local e a coleta.

O Comitê ressaltou ainda que irá reforçar o monitoramento na localidade, buscando identificar a origem de descargas irregulares e possíveis falhas na coleta. Denúncias ou reclamações podem ser realizadas através da Central de Atendimento: 0800 098 1636.

Galeria de fotos

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte