Cidades | Desabamento

Abandonado, prédio começa a desabar no centro de São Luís

Sem manutenção e atingido por fortes chuvas, parte do imóvel, no Centro, caiu sobre um estabelecimento; não houve feridos; prédio estava fechado há 10 anos e não tinha mais telhado, o que piorou sua situação com as chuvas
Natália Reis / O Estado26/02/2018 às 00h00
Abandonado, prédio começa a desabar no centro de São LuísParte da frente ainda parece intacta, mas a área dos fundos começou a desabar (Diego Chaves / O Estado)

Parte de um imóvel desabou no fim da manhã de ontem, 25, por volta de 12h45, em cima de um estabelecimento na Rua Celso Magalhães, no Centro. Após a queda, muitos moradores assustados tentaram entrar no local, imaginando feridos, porém, no momento da queda ele estava vazio, havendo apenas danos materiais.

O prédio que desabou apresenta muitos problemas em sua estrutura física. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o imóvel está todo destelhado, recebendo água desde o começo do período chuvoso, acumulando líquido nas paredes. Essa absorção constante de água seria uma possível resposta para o desabamento.

Porém, conforme o capitão Viana, do Corpo de Bombeiros, evidências concretas sobre o motivo da queda ainda não podem ser confirmadas. A causa será definida somente após a vistoria da Defesa Civil, que ele ressaltou será realizada o mais breve possível.

O imóvel, onde no passado funcionou uma pousada, está fechado há mais de 10 anos. Totalmente danificado, o prédio coloca em risco quem mora em suas proximidades. Alguns moradores já colocaram a casa à venda, por medo de que acidentes com resultados mais graves que o ocorrido ontem.

Segundo a dona de casa Camélia Cristina Magalhães, vários episódios já ocorreram no local. “Há um tempo, um começo de incêndio deixou todos nós apavorados e com muito medo do fogo se alastrar. Os donos deveriam tomar alguma providência, até mesmo porque o prédio fica em frente a uma escola e pode cair em cima dos alunos a qualquer momento, fazendo vítimas”, disse ela.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte