Política

Teto salarial só depois de decisão do STF sobre auxílio moradia, diz Maia

Proposta sobre o teto salarial do funcionalismo público, segundo Rodrigo Maia, somente será analisado na Câmara dos Deputados após posição do Supremo Tribunal Federal a respeito de auxílio-moradia de magistrados
22/02/2018 às 14h17
Teto salarial só depois de decisão do STF sobre auxílio moradia, diz MaiaRodrigo Maia somente colocará projeto de lei em puta após decisão do STF (Divulgação)

Brasília - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quinta-feira, 22, que o projeto de lei que estabelece o teto salarial do funcionalismo público será votado na Casa depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir sobre o direito de juízes a auxílio-moradia. A expectativa do presidente é que o texto seja votado em março.

Maia disse que o Supremo e o Ministério Público Federal estão garantindo a transparência das informações para que a Câmara possa avaliar o tema. "Para que não se aprove algo que inviabilize o trabalho dos poderes Legislativo, Judiciário e Executivo e do Ministério Público."

De acordo com Maia, no encontro desta quinta, a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, fez uma apresentação com dados da situação de cada tribunal do País, com informações sobre salários, indenizações e dívidas. "Tudo bem esclarecido com informações para que a comissão (da Câmara) possa, depois, decidir", disse.

Além de Maia e Cármen, participaram do encontro a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o deputado Benito Gama (PTB-BA) e o corregedor do CNJ. O encontro foi marcado para discussão de transparência de salários do Judiciário.

A ministra Cármen Lúcia pautou para o dia 22 de março o julgamento das ações que tratam de auxílio-moradia de juízes.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte