Geral | Sem data

Nova adutora do Sistema Italuís ainda não tem prazo para funcionar

Até quinta-feira, 21, conforme constatação de O Estado, as obras de reparo da estrutura da nova adutora estava paralisadas; enquanto isso, mais de 600 mil pessoas continuam sendo atendidas pela antiga adutora
Thiago Bastos / O Estado23/12/2017
Nova adutora do Sistema Italuís ainda não tem prazo para funcionarA estrutura da nova adutora do Sistema Italuís apresentou problema e agora passa por perícia técnica (De Jesus / O ESTADO)

SÃO LUÍS - A nova adutora do Sistema Italuís, que registrou um rompimento em sua estrutura no dia 9 deste mês e causou o desabastecimento de água de mais de 600 mil pessoas em São Luís, ainda não tem prazo para ser colocada em operação. Até quinta-feira, 21, as obras de reparo da estrutura estavam paradas.

O Estado esteve no local na tarde de quinta-feira,21,em Periz de Baixo, onde ocorreu o dano na intersecção – apontada pelo Governo como o fator técnico para o rompimento da estrutura - e constatou que nenhum operário trabalhava no local. Segundo pessoas que tem residências há poucos metros do local das obras, as máquinas estiveram no canteiro de obras até quarta-feira, 20. . “Até ontem [quarta] tinha máquina. Mas hoje [ontem] não tem mais. Não sei o que aconteceu”, disse Walkno Lopes, morador de Periz.

Ainda de acordo com a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), a peça apontada como a “causadora do vazamento no novo Sistema Italuís” ainda está em fase pericial. A companhia confirmou a O Estado que, atualmente, mais de 600 mil pessoas que dependem direta ou indiretamente do Italuís estão sendo abastecidos pela tubulação antiga, cujo tempo de vida útil expirou há mais de 10 anos, segundo especialistas.

A entrega da adutora do Sistema Italuís foi sinalizada pelo Governo do Maranhão como a principal obra a ser entregue à população neste fim de ano. Por meio das redes sociais, o governador Flávio Dino (PC do B) chegou a anunciar que a adutora seria entregue no dia 9 deste mês, antecipando em mais de 12 horas o prazo inicial estipulado para a entrega da estrutura. Nesta data, os bairros da capital já estavam sem água há 72 horas, uma vez que o abastecimento havia sido suspenso pela Caema sob a justificativa de troca de operação da tubulação antiga para a nova. Por causa do problema, alguns bairros permaneceram sem água por uma semana.

No domingo,10, técnicos da Caema estiveram no local do rompimento e apontaram duas soluções: ou a peça danificada seria reparada fixada na própria tubulação, ou seria retirada para a realização do conserto. A segunda opção foi escolhida e, há 10 dias, uma empresa contratada pelo governo trabalha na restauração da peça.

Adiamentos

Levantamento feito por O Estado apontou que, por pelo menos sete vezes, foi adiado o prazo de entrega da nova adutora do Sistema Italuís. Segundo o governo, assim que for entregue, haverá “um incremento de 500 mil litros por segundo no abastecimento de água da capital maranhense”. As obras de instalação da nova adutora foram orçadas em R$124.039.306,66 e o projeto inicial foi elaborado em 2012.

Nota da Caema

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) informa a que peça que causou vazamento no novo Sistema Italuís ainda se encontra em fase pericial. A companhia reitera que está trabalhando para dar celeridade neste processo de investigação das causas do problema, de forma a solucionar no menor tempo possível.

Informa, ainda, que não há data definida para a realização de uma nova operação para interligação da adutora e que, quando definida, a companhia informará a população nos canais de atendimento do órgão e do governo, e também, através da mídia local. A antiga adutora Italuís continua em funcionamento normal, para abastecer os bairros de sua abrangência.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte