Estado Maior

Nada a comemorar

09/12/2017

Os auxiliares e demais apaniguados do governador Flávio Dino (PCdoB) passaram os últimos dois dias como se estivessem em estado de graça. Isto depois que foi elucidado o assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim. Mas a comemoração dos comunistas se baseou no fato de que o crime em Barra do Corda não é um caso de pistolagem.
Preocupados somente em tentar responder a oposição, os governistas esquecem que existem na estatística de violência no estado 11 execuções com características de crime de pistolagem.
Como relevou O Estado, de 2015 até o momento, foram cinco vereadores mortos e mais três blogueiros além de um secretário municipal. E em todos esses casos, não houve elucidação do crime.
Por isso, fica a questão: os comunistas comemoram mesmo o que?
Segundo o secretário de Segurança, Jefferson Portela, existem casos que demoram para ser resolvidos. Outros casos mais ainda. Mas isso não justifica o descaso nos 11 casos de execução no interior do Maranhão.
O que o governador Flávio Dino e todos os seus seguidores deveriam deixar de lado era esse jogo político que desrespeita as famílias de quem espera por justiça.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.