Especial | Patrimônio

Centro Histórico ganha nova vida com ações de reocupação e revitalização

Intervenções culturais e de infraestrutura executadas pelo poder público estão levando a população de volta ao cartão-postal mais famoso da cidade e despertando o sentimento de pertencimento e preservação do patrimônio
06/12/2017
Centro Histórico ganha nova vida com ações de reocupação e revitalizaçãoProjetos culturais estão levando o público para o Centro Histórico (Divulgação)

SÃO LUÍS-Completando 20 anos do recebimento do título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), São Luís vive um novo momento: de reocupação e revitalização do Centro Histórico. Ações de preservação do parque arquitetônico, intervenções de grande impacto na infraestrutura, bem como a ocupação qualitativa e produtiva da região, estão fortalecendo a relação da população com o lugar e também o sentimento de pertencimento e a consciência de sua preservação.

Ao longo dos últimos anos, especialmente em 2017, a população voltou a frequentar mais o Centro Histórico, atraída pelas atividades culturais e demais intervenções desenvolvidas, sobretudo, pela Prefeitura de São Luís. O lugar, que reúne cerca de 4 mil imóveis dos séculos XVIII e XIX e concentra uma rica diversidade cultural e social, está atraindo visitantes não apenas pela arquitetura, mas também pela variedade do artesanato e culinária típica vendida em diversos estabelecimentos da região tombada pelo Governo Federal e Estadual.

Com a mudança do cenário, a população está fazendo da área histórica o seu reduto, como os amigos universitários Andressa Morais, Ana Beatriz Oliveira e Diego Wenedy. Frequentadores assíduos nos últimos dois anos, eles avaliam o local como um dos melhores e mais representativos espaços da cidade para interagir e se divertir. "A gente se sente abraçado no bairro e encontra nossos iguais, além da manifestação cultural da área que é bastante forte", diz Andressa Morais.

Para o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, a presença da população no local é fundamental não apenas para que se conheça mais sobre a história da cidade, mas também para que as pessoas a amem e preservam. “A nossa gestão vem trabalhado em várias frentes para a reocupação e revitalização do Centro Histórico, e os resultados já são nítidos. Resgatar a nossa história, cultura, arquitetura e todas as riquezas que o Centro reúne é fundamental para despertar o sentimento de pertencimento”, afirma.

Cultura, turismo e negócios

Uma das intervenções realizadas pela Prefeitura que tem contribuído para a reocupação do Centro Histórico é o programa Reviva, que reúne o Passeio Serenata, o Sarau Histórico e o Roteiro Reggae. A programação ocorre mensalmente e vem conquistando não apenas a população de São Luís, mas também os turistas, que têm a oportunidade de conhecer melhor a história e fatos curiosos da formação da cidade.

No Passeio Serenata, os visitantes percorrem as charmosas ruas de paralelepípedos ao som de pérolas da música, parando em pontos onde ocorrem apresentação de personagens que marcaram a história da cidade. Todo o trajeto é acompanhado por um guia de turismo, que explica detalhes e curiosidade do local para a multidão que acompanha o cortejo.

No Sarau Histórico, que ocorre na Praça Benedito Leite, a São Luís antiga volta à tona com história, música, poesia, dança e teatro. A cada edição, uma temática diferente, e um público crescente que se entrega aos encantos de uma cidade que a está sendo redescoberta.

Se o conjunto arquitetônico – maior característica do Centro Histórico de São Luís – rendeu a ela o título de Cidade dos Azulejos, outro epíteto é de Jamaica Brasileira, pelas fortes influências do ritmo da cidade. No Roteiro Reggae, outra ação de reocupação promovida pela gestão municipal, centenas de pessoas percorrem pontos que marcaram a história do gênero musical na Ilha.

Mais uma opção de lazer para moradores e visitantes e também uma oportunidade de negócios para pequenos produtores da capital, a Feirinha São Luís, que acontece todo domingo na Praça Benedito Leite, se consolidou no calendário da cidade. O espaço reúne produtos agroecológicos, música, culinária, artesanato e literatura, uma combinação que que agradou e fez com que a população abraçasse a iniciativa.

Outra oportunidade de ampliação de negócios, mas em outra vertente, é o programa Patrimônio Digital, também ação da gestão municipal. A iniciativa tem o objetivo de ocupar a zona de patrimônio histórico com atividades econômicas que gerem riqueza perene. Ação estimula por meio de incentivos fiscais as empresas de tecnologia da informação, e outras 109 atividades correlatas, a se fixarem na zona de concentração do patrimônio histórico.

Infraestrutura

A reocupação do Centro Histórico de São Luís não se deve apenas às atividades culturais, mas também a importantes investimentos de infraestrutura. “Não estamos apenas trazendo as pessoas de volta, mas também dando suporte para que elas curtam o espaço e se tornem frequentadoras assíduas”, destaca o prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

O Centro Histórico vem recebendo uma série de melhorias e ações de recuperação. São dezenas de frentes de serviços, incluindo intervenções na Praça João Lisboa, Largo do Carmo, Rua Grande, Teatro Arthur Azevedo, Mercado Central, a Estação Ferroviária (Reffesa), entre outros. Os serviços envolvem todas as esferas de gestão - municipal, estadual e federal - integrando o PAC Cidades Históricas, executado pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com os governos municipal e estadual.

Fechando 2017, foram iniciadas as obras de reforma do Complexo Rua Grande, que vai mudar completamente a paisagem urbana do Centro de São Luís, garantindo ainda mais conforto a quem frequenta o local e melhorando as condições do comércio varejista tradicional da região. O anúncio do início das obras foi recebido com satisfação pelos empresários da área que há anos solicitavam a intervenção.

Entre as ações de infraestrutura, a Prefeitura de São Luís firmou parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de R$ 14 milhões, para novos investimentos de revitalização do Centro Histórico. O programa prevê a requalificação de logradouros públicos, elaboração de um plano de habitação, requalificação da Fonte do Bispo, urbanização do Canal do Portinho, obras no Parque do Bom Menino e Diamante, entre outros.

Somado às ações de ocupação e preservação do patrimônio, estão sendo executados serviços de infraestrutura urbana na região do Centro. Entre elas estão a recuperação do calçamento nas ruas de pedras de cantaria; a manutenção e implantação de luminárias arandelas; limpeza e lavagem das ruas, becos e escadarias do local; reforma de praças emblemáticas como a Nauro Machado, Faustina, do Pescador e Valdelino Cécio, em parceria como Governo do Estado, além do trabalho de paisagismo na Benedito Leite.

A população de São Luís tem reconhecido os esforços do poder público na melhoria do Centro Histórico. O poeta e músico José Maria Medeiros, 60 anos, observa que as intervenções têm mudado a realidade do local, mantendo sua representatividade na arquitetura, história e cultura. São 28 anos de vivência no local onde desenvolve o projeto “A Vida é uma Festa”, que reúne vertentes da arte local. “O bairro hoje é bem mais frequentado pela juventude, que parece tê-lo redescoberto; e melhor ocupado por artistas. Está bem e pode melhorar com nosso olhar mais carinhoso e atencioso”, avalia.

Galeria de fotos

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte