Consolidação tucana

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h34

O movimento de lideranças do PSDB nacional dará o tom, nos próximos dias, do projeto de poder que os tucanos querem para o Maranhão. Primeiro, o prefeito de São Paulo, João Doria Jr. - provável candidato da legenda ao governo daquele estado - chega hoje a São Luís, em uma agenda que inclui encontro com líderes empresariais e encontros pessoais com a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e com o senador Roberto Rocha (PSDB).
Não há, na agenda, nenhuma definição de encontro com o governador Flávio Dino (PCdoB), de quem Doria já deixou claro nutrir certa antipatia. Talvez até por isso o vice-governador Carlos Brandão esteja absolutamente escanteado da visita do prefeito de São Paulo.
Os tucanos devem receber também em São Luís - se não em 2017 certamente no início de 2018 - o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o candidato da legenda a presidente da República. Agora fortalecido com a garantia de que presidirá a legenda, Alckmin vem com a clara posição de que quer um palanque forte no Maranhão, distante do projeto do PCdoB maranhense.
Os movimentos do ano pré-eleitoral de 2017 são absolutamente diferentes dos de 2013, quando Brandão ainda tinha força no ninho e encaminhava o esdrúxulo projeto de aliança com o PCdoB, que resultou na ignonímia política de ver no mesmo palanque o senador Aécio Neves e o governador Flávio Dino. E deu no que deu.

Defesa
O senador Edison Lobão defendeu a candidatura do ex-presidente Lula para a Presidência da República.
Para ele, o ex-presidente deve ter o direito de disputar a eleição livremente, deixando ao eleitor a decisão democrática de eleger o seu presidente.
“Vivemos em uma democracia representativa, onde o povo se manifesta livremente”, declarou Lobão.

Crescimento
O deputado Edivaldo Holanda está otimista com a formação da chapa proporcional que o PTC está montando para as eleições de 2018.
Ele tem atraído figuras de peso nos meios políticos, tanto para disputar as vagas de deputado estadual quanto federal.
E espera que o partido garanta um bom percentual de vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal.

Motivos
O supersecretário Márcio Jerry, principal assessor do governador Flávio Dino (PCdoB), anda mais tenso do que o normal nas redes sociais.
Para pessoas de sua convivência, o motivo seriam novos documentos da Polícia Federal, que o põe ainda mais no centro do furacão da Operação Pegadores.
Jerry tem alternado momentos de ódio explícito pela PF com outros, em que tenta jogar loas no serviço da instituição.

De saída
Os deputados Júnior Marreca e César Pires devem deixar o PEN maranhense.
Eles não se mostram muito à vontade com a possibilidade de o partido fechar apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro.
A saída dos parlamentares deixa claro que a legenda deve mesmo ficar com os bolsomínios e a União da Direita Maranhense.

Pelo recuo
O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PR), vai pedir ao colega Chico Carvalho (PSL), a retirada de um projeto de lei que trata da “escola sem partido”.
A proposta provocou forte polêmica no Legislativo e protestos de entidades de classe, professores do município, da Uema, da UFMA, do Ifma e de estudantes.
Chico Carvalho, por outro lado, não quer recuar.

AVC
O vereador de São Luís Pavão Filho, do PDT, sofreu ontem um Acidente Vascular Cerebral (AVC).
Ele estava na Câmara Municipal quando sentiu-se mal e foi logo levado a um hospital da capital.
O pedetista foi internado no Hospital São Domingos e, até o fechamento desta edição, aguardava os resultados de exames.

DE OLHO

R$ 10 milhões Aproximadamente, é quanto o governo Flávio Dino pretende gastar com suposto apoio a rádios comunitárias em pleno ano eleitoral de 2018.

E MAIS

• A crise na Saúde do governo Flávio Dino gerou confusão e disse-me-disse entre vários secretários, cada um apontando o dedo para o outro.

• A pesquisa Vox Populi, que deve ser divulgada no fim de semana, gerou forte expectativa nos meios políticos maranhenses.

• O ex-vereador Fábio Câmara trabalha uma dobradinha com o deputado federal Hildo Rocha para as eleições de 2018.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.