Pergentino Holanda

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h35
MULHERES DE CHARME deram um colorido especial ao almoço de quarta-feira na Oak Wine, movimentando uma das mesas mais alegres da tarde: Themis Carvalho, Márcia Rêgo, Lia Naresi, Emygdia Rosa Pires Leal, Adriana Leal e Joelma Bezerra
MULHERES DE CHARME deram um colorido especial ao almoço de quarta-feira na Oak Wine, movimentando uma das mesas mais alegres da tarde: Themis Carvalho, Márcia Rêgo, Lia Naresi, Emygdia Rosa Pires Leal, Adriana Leal e Joelma Bezerra
CIDINHO MARQUES foi a figura mais assediada do almoço de ontem na Oak Wine. Convidado para a Confraria liderada pelo empresário Jose Water Maciel, ele autografou seu novo livro, Pensando fora do ego, para vários simpatizantes de sua obra literária. Na foto, Cidinho com José Walter, Benjamin Franklin Alves e o poeta Ivan Sarney
CIDINHO MARQUES foi a figura mais assediada do almoço de ontem na Oak Wine. Convidado para a Confraria liderada pelo empresário Jose Water Maciel, ele autografou seu novo livro, Pensando fora do ego, para vários simpatizantes de sua obra literária. Na foto, Cidinho com José Walter, Benjamin Franklin Alves e o poeta Ivan Sarney

Dona Flor
Estreia nos cinemas de todo o país nesta quinta-feira o remake do filme Dona Flor e Seus Dois Maridos.
O icônico triângulo amoroso da literatura brasileira é uma obra atemporal do baiano
Jorge Amado e traz em novo remake fidelidade ao livro e à peça montada pelo diretor
Pedro Vasconcelos.
No elenco, Juliana Paes, que já viveu Gabriela na TV, dá vida a mais um personagem amadiano e interpreta Dona Flor; Marcelo Faria surge como Vadinho – ele que vive o personagem na peça homônima desde 2007 – e Leandro Hassum tem a difícil missão de interpretar Teodoro, o taciturno farmacêutico.

Dona Flor 2
O diretor Pedro Vasconcelos se propôs a trazer para o longa uma identidade única, sem referências à primeira obra.
Um desafio e tanto, uma vez que a primeira versão de Dona Flor, dirigida por Bruno Barreto em 1976, foi por 34 anos recordista de público da cinematografia brasileira, levando mais de 10 milhões de pessoas
às salas de cinema.
“Existem 40 anos de distância entre as duas obras, com certeza tem todas as diferenças do mundo”, afirma Pedro.
Para os atores, a atemporalidade da trama é resultado da genialidade da escrita de Jorge Amado para
tratar com naturalidade temas humanos e importantes.
O remake traz na essência um convite às novas geração para conhecer Jorge Amado e celebrar um dos grandes clássicos da literatura nacional.

Contra os “Fake News”
Os boatos nas redes sociais, os “Fake News” podem tumultuar o ambiente eleitoral e prejudicar candidatos que sejam alvo das notícias falsas nas redes sociais.
Essa é a síntese de uma oportuna análise feita pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.
Moraes é mais uma voz que adverte para a necessidade de regulamentação, o que não significa censura.
O Tribunal Superior
Eleitoral já prepara uma ofensiva para combater a proliferação
de boatos nas eleições do próximo ano.

Bobagens
Biólogos da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, asseguram ter demonstrado matematicamente que vencer o envelhecimento é impossível.
O mesmo estudo, publicado na revista Proceedings of National Academy of Sciences, chegou à conclusão que também é impossível evitar a morte.
Vem cá, precisava de estudo científico para concluir o que todo mundo já sabe? Estes cientistas parecem que não
têm o que fazer.

Papai Noel faz a festa no Shopping

Sempre saindo na frente, o mais badalado centro de compras desta Capital, o São Luís Shopping, dá hoje a largada para as festas de fim de ano e logo mais
recebe a caravana de Papai Noel. O evento marca a campanha natalina do empreendimento que, este ano, está recheada de surpresas com o
sorteio de um valioso prêmio. O tema é “O Natal é assim: nos aproxima” com decoração da Cipolatti, uma das
maiores empresas do ramo no país.

TRIVIAL VARIADO

A ex-governadora Roseana Sarney está mesmo mordida pela mosca azul. Ou seja: parece irreversível a sua decisão de aceitar o desafio e se lançar candidata ao governo do Estado
nas eleições de 2018.

É grande a revoada de maranhenses em busca de outras plagas neste feriadão. Lil Trinta e Jorge Cateb estão em Fortaleza. José Jorge Soares e Beth foram
para os Lençóis Maranhenses.
Thatiana e César Bandeira pegaram o rumo de São Paulo.

Por falar em São Paulo, uma caravana de maranhenses que apreciam a boa música já está com lugares confirmados na plateia do espetáculo que o violinista alemão David Garrett faz dia 16 no
Citibank Hall.

Falta um levantamento em todo
o País para mostrar quanto os governos estaduais gastam com jatinhos contratados. Cada utilização deveria vir com a justificativa pública. Afinal, os voos comerciais foram feitos para todos.

Em uma roda de cafezinho, ontem à tarde, empresários conversavam e a conclusão sobre o quadro nacional foi unânime: “Há uma confiança desconfiada.”

Presença de grande charme no jantar do Cabana do Sol e no almoço do Restaurante Senac, Alex Vancauwenberg, da Companhia Marítima de Mônaco, com o empresário maranhense Luiz Carlos Cantanhede Fernandes, da Internacional Marítima.

À medida que 2018 se aproxima, o Palácio dos Leões vai endurecendo o jogo contra aliados políticos que não rezam pela cartilha de Flávio Dino. A partir de agora, “governo é governo e oposição é oposição”.

A ministra Rosa Weber (STF) pretende levar ao plenário, para julgamento, ainda este mês, ADIN ajuizada pelo PSL (Luciano Bivar) contra o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (R$ 1,7 bilhão) aprovado recentemente
pelo Congresso Nacional.

DE RELANCE

Novo Conselheiro
O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, David Telles, assumiu como Conselheiro do Sebrae no Maranhão na última reunião do Conselho Deliberativo Estadual (CDE) da entidade, presidido por Edilson Baldez das Neves. Ele ocupa a vaga deixada pelo atual reitor do IEMA, Janathan Almada, enquanto foi titular da Secti.


Em liquidação
O governo federal prevê no Orçamento de 2018 a arrecadação de 12 bilhões de reais com a
privatização da Eletrobras. O dinheiro entrará num
dia e desaparecerá no outro, servindo apenas para
tapar rombos no orçamento.


A arte de esconder
Um dos móveis preferidos pela maioria dos governos é o biombo para que possam acobertar erros passados e atuais. O que ocorre nas finanças públicas segue com acesso restrito. A circunstância lembra frase do escritor francês Jean de La Fontaine, que viveu de 1621 a 1695:
“A vergonha de confessar o primeiro erro leva a muitos outros”. Querem manter tudo encoberto.


Ponto de equilíbrio
Os donos de placas de táxi se achavam donos do mercado. As votações do projeto de regulamentação dos aplicativos, no Senado e na Câmara dos Deputados, aproximam-se do bom senso, sem ceder a extremos que prejudicariam os usuários. Uber e Cabify são irreversíveis. Estudo do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) indica que os aplicativos não provocaram queda no número de corridas dos táxis. Pelo contrário: a inovação foi benéfica para a concorrência, com redução de preços e
ampliação da disponibilidade.


Fadiga da ‘velha’ política
No vácuo aberto com a desmoralização da classe política e as constantes revelações escabrosas da Lava Jato, crescem iniciativas como a do RenovaBR, que está inscrevendo no site Renova BR, para um processo seletivo de bolsistas aspirantes à candidatura para disputar uma cadeira no Congresso, em 2018. É isso mesmo: bolsa para aprender a fazer frente aos velhos nomes da política.


Fadiga da ‘velha’ política 2
A iniciativa é curiosa. Os 150 selecionados irão receber bolsa de R$ 5 mil/mês para a capacitação em diversas áreas (gestão pública, economia...) e tem de seguir à risca os valores da proposta, entre os quais “combate irrestrito à corrupção”. Um fundo banca os prováveis candidatos. O Renova tem conversado com o Novo e a Rede. No Brasil é preciso estar filiado a uma sigla para se candidatar. Onde isso vai dar, só 2018 dirá.


Missa e Café para Arteiro
Na classe empresarial maranhense as atenções desta sexta-feira estão voltadas para a comemoração dos 79 anos de José Arteiro da Silva, com missa em ação de graças que será rezada na sede da Fecomércio, no Calhau, seguida de um café da manhã.


Melhor não falar
Do ex-executivo da JBS, Ricardo Saud, na sessão de uma Comissão parlamentar da última terça-feira no Congresso Nacional, em Brasília, respondendo a um senador, que lhe perguntou se ele queria ou não ajudar o país: “Eu quero ajudar, sim, mas na primeira vez em que sentei para falar a verdade, fui preso. Já
pensou se eu continuar falando? Então, eu vou ficar calado”. Isso é Brasília, isso é Brasil.


Para escrever na pedra:
“Onde encontrar o caminho pelo qual chegaremos à compreensão do que é o político?” A pergunta foi feita pelo filósofo ateniense Platão, que morreu no ano 347 antes da Era Cristã.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.