Política | Denúncia PGR

Temer reunirá com ministros e deputados aliados para tratar sobre denúncia

Presidente da República receberá os parlamentares e também ministros às 19h desta segunda-feira, 23; intenção é atender os pedidos dos deputados ainda não atendidos e ainda verificar o mapa de votação da denúncia da PGR
23/10/2017 às 15h00
Temer reunirá com ministros e deputados aliados para tratar sobre denúnciaMichel Temer receberá deputados de partidos de sua base aliada para conversar a respeito da votação do parecer que rejeita denúncia da PGR contra o presidente da República (Divulgação)

Brasília - O presidente Michel Temer (PMDB) vai reunir ministros e deputados de partidos da base na noite desta segunda-feira, 23, no Palácio da Alvorada.

O encontro faz parte das articulações do governo para aprovar na Câmara o parecer que recomenda a rejeição da denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República contra Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

A assessoria da Presidência informou que a reunião está prevista para 19h. Temer quer repassar os mapas de votos das bancadas, levantados ao longo do fim de semana, e os pedidos de deputados ainda não atendidos pelo governo, como liberação de cargos e emendas parlamentares.

Até quarta-feira, 25, dia da votação, o presidente, ministros e líderes vão intensificar as conversas com parlamentares.

Temer, Padilha e Moreira foram acusados pelo crime de organização criminosa. Temer também foi denunciado por obstrução de Justiça. O rito de tramitação da denúncia exige que a Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal a decidir a abertura ou não da ação penal. Para isso são necessários os votos de pelo menos 342 dos 513 deputados federais.

Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou parecer que recomenda rejeitar o prosseguimento da denúncia. A expectativa do governo é emplacar esse parecer no plenário. A oposição, por sua vez, se esforça para que o quórum da sessão não seja atingido e a votação seja adiada, o que atrapalharia os planos do governo de resolver o caso o mais rápido possível.

A primeira denúncia contra Temer, por corrupção passiva, foi barrada na Câmara com 263 votos, em agosto. Responsável por mapear os votos dos deputados, o deputado Beto Mansur (PRB-SP) acredita ser possível repetir o placar.

“Quem já votou na primeira denúncia está consciente que o país precisa virar a página. O total de votos vai variar pouco na comparação com a denúncia anterior”, projetou o parlamentar.

Outro aliado de Temer na Câmara, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), defendeu a intensificação de reuniões até o dia da votação.

“A partir de agora é uma reunião atrás da outra, não é permitido salto alto”, afirmou.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte