Economia | Comércio

Vendas no Dia das Crianças deverão ter o melhor desempenho em quatro anos

Estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) é de que este ano o desempenho das vendas associadas à data comemorativa resulte na movimentação de R$ 7,4 bilhões
08/10/2017 às 00h00
Vendas no Dia das Crianças deverão ter o melhor desempenho em quatro anosComércio de brinquedos deverá voltar a crescer este ano, segundo estimativa da CNC (Divulgação)

Após dois anos consecutivos de quedas, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que as vendas associadas ao Dia das Crianças devem movimentar R$ 7,4 bilhões neste ano, um crescimento de 3,4% - já descontada a inflação - na comparação com 2016. Se confirmado, o resultado será o melhor registrado pelo varejo nesta data desde 2013 (+5,1%).

“A perspectiva mais favorável acerca do desempenho do setor nessa data comemorativa se insere em um contexto mais amplo, no qual a recuperação do mercado de trabalho, inflação baixa e juros em processo de redução permitem um resgate parcial das condições de consumo”, aponta Fabio Bentes, chefe da Divisão Econômica da CNC.

Com alta esperada de 10,2%, as lojas de vestuário e calçados deverão apresentar o melhor desempenho entre os campeões de venda da data. O comércio de brinquedos e eletroeletrônicos também deverá voltar a crescer neste ano (+5,7%), entretanto, em ambos os casos, as variações positivas esperadas para 2017 não repõem as perdas verificadas no ano passado (-12,2% e -7,6%, respectivamente).

A evolução recente do preço médio de 11 bens ou serviços mais demandados durante o Dia das Crianças tem demonstrado que a inflação associada a esta data comemorativa deverá ser a menor desde 2001 (+4,3%). Entre os itens que registraram as menores variações de preço, estão os chocolates em barra e bombons (-5,1%), CDs e DVDs (-0,7%) e brinquedos (2,1%).

A queda na taxa média de juros ao consumidor, influenciada pela significativa desaceleração do nível geral de preços nos últimos meses, tem contribuído para reverter as perdas do varejo. Segundo dados recentes do Banco Central, o juro médio das operações com recursos livres tomados pelas pessoas físicas recuou de 72,4% para 62,3% ao ano, entre agosto de 2016 e de 2017.

Dessa forma, considerando os prazos médios vigentes – que se mantiveram praticamente estáveis nesse período – as prestações médias mensais de um empréstimo simulado de R$ 1.000 recuaram 8,3% nesse período, atingindo R$ 46,85 mensais em agosto de 2017 – a menor prestação nessa operação desde agosto de 2015 (R$ 46,75).

Termômetro

O Dia das Crianças deverá ser usado pelo comércio eletrônico como termômetro de vendas para as principais datas do varejo brasileiro que acontecem no fim de ano, como a Black Friday e o Natal. A data, que é comemorada no dia 12 de outubro, é considerado o pontapé inicial para a temporada de fim de ano do comércio.

"Tanto para a preparação de estoque, como precificação de produtos e gestão logística, as lojas virtuais devem usar o Dia das Crianças como uma espécie de aquecimento para as próximas datas sazonais de fim de ano", avalia Mauricio Salvador, presidente de Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). A entidade estima uma movimentação de R$ 2,1 bilhões nas vendas pela internet, o que representa alta de 5% ante 2016.

As lojas virtuais também devem testar a confiança do consumidor e a partir disso prepara ações para as datas restantes do calendário varejista no ano. De acordo com Índice de Confiança do Consumidor (ICC), da Fundação Getulio Vargas (FGV), houve incremento de 1,4 ponto em setembro, atingindo 82,3 pontos, sendo a terceira alta consecutiva.

De acordo com Willians Marques, sócio-diretor da Tray, unidade de comércio eletrônico da Locaweb, a data deve representar um crescimento médio de 15% dentro da carteira de clientes. com mais de seis mil lojas virtuais. "A movimentação já é sentida, uma vez que os consumidores já começam a fazer as compras no mês de setembro", afirma

Marques reforça que a data, que já é planejada com antecedência pelos lojistas virtuais, será utilizada para balizar as operações para a Black Friday e o Natal. "Será um teste válido, principalmente nas campanhas de atração de clientes e na operação logística", diz.

Mais

Vendas

O sócio-diretor da Betalabs, empresa especializada em gestão de comércio eletrônico, Luan Gabellini, ressalta que fatores macroeconômicos, como a variação cambial, que teve menos impacto neste ano, além da queda na taxa de juros e da inflação devem contribuir positivamente para as vendas. "As datas comemorativas esse ano tem tido sim crescimento, mesmo com um percentual menos significativo", afirma.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte