Polícia | Fuga

Policia busca por foragidos do Presídio de Rosário

Quatro detentos escaparam no fim da tarde de sábado. Até o momento nenhum deles foi recacapturado
27/08/2017 às 18h22

ROSÁRIO - A Polícia já iniciou as buscas para localizar os detentos que fugiram no fim da tarde de ontem da Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) da cidade de Rosário (distante aproximadamente 100 km de São Luís). Não é a primeira vez que apenados escapam do local.

Os detentos aproveitaram o momento das visitas e utilizaram uma serra para cortar a grade superior do solário da unidade. Na oportunidade, um quinto interno ainda tentou escapar, mas foi impedido pelos agentes estaduais de execução que estavam de plantão. As buscas estão sendo feitas pelas polícias Civil, Militar e pelos agentes penitenciários da localidade.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que já abriu procedimento interno para apurar as circunstâncias da fuga dos internos. Disse ainda que os servidores serão investigados por suspeitas de participação na ocorrência.

Reincidências – Já existe um histórico de fugas na UPR de Rosário. Uma das últimas aconteceu em dezembro do ano passado. Na ocasião, sete detentos conseguiram fugir serrando as grades de ventilação. Eles ainda utilizaram uma corda feita de lençóis de cama, conhecida como Tereza, para facilitar a fuga. Agentes penitenciários foram afastados do cargo suspeitos de terem facilitado a ação criminosa.

Em abril do ano passado também ocorreu uma fuga desse presídio. Os criminosos escaparam por meio de um túnel escavado de dentro da cela estavam. Os agentes que estavam de serviço no momento não teriam percebido o momento da saída dos quatro detentos, mesmo com a presença do sistema de vigilância interno.

Já do lado de fora, os presidiários renderam um motorista que estava em um veículo e fugiram no automóvel em direção ao município de Santa Rita. Em seguida, eles abandonaram o veículo. Na ocasião, a Seap informou que abriu uma sindicância para apurar as circunstâncias do fato.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte