Editorial | 19 de junho

Sine: esperança para desempregados

Os números do Sistema Nacional do Emprego (Sine) revelam que há 26 mil vagas de trabalho disponíveis no país
19/06/2017

O Brasil convive hoje com a triste e preocupante realidade do desemprego. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são mais de 14 milhões de desempregados em meio uma das mais graves crises político-econômica que parece não ter fim.

E enquanto permanecer essa instabilidade mais tempo demorará para o país superar este momento tão difícil para os brasileiros.

Mas a esperança consegue sobreviver ao caos que se tornou o país diante de tanta corrupção. Alguns setores da economia ainda conseguem respirar e trabalhar para que nem tudo esteja perdido.

Diante desse esforço para sobreviver, conseguem ofertar vagas de trabalho, o que é um alento para quem está desempregado. Os números do Sistema Nacional do Emprego (Sine) revelam que há 26 mil vagas de trabalho disponíveis no país. Pode parecer insignificante comparando com os mais de 14 milhões de pessoas que estão à procura de emprego, mas é melhor do que não ter nada.

Este ano, por meio do Sine, já foram ofertadas 67 mil oportunidades de trabalho, este que é o maior sistema de intermediação de mão de obra no Brasil. De certo que esses números variam muito a cada dia, mas hoje são 26 mil vagas disponíveis, conforme são ocupadas ou abertas.

O Sine dispõe de 1,3 mil postos físicos de atendimento, além do site Emprega Brasil (www.empregabrasil.mte.gov.br), para que o trabalhador desempregado se cadastre e consulte as oportunidades.

Para quem tem acesso à internet, é mais cômodo fazer o cadastramento pelo portal Emprega Brasil, porque não há restrição de horário e pode acessá-lo de qualquer lugar. Após a oferta da vaga no site, as informações inseridas pelas empresas são confirmadas e validadas pelo Sine.

O trabalhador não passa pela etapa de validação. Entretanto, os usuários precisam ficar atentos para não esquecer informações obrigatórias como o número da carteira de trabalho.

Este ano, segundo o Ministério do Trabalho, pelo menos 1,7 milhão de pessoas se cadastraram em diferentes áreas profissionais e em todos os níveis de escolaridade e idade.

No período de 2011 a 2017, um total de 22 milhões de homens se cadastrou no Sine, dos quais mais de 6 milhões estão na faixa etária de 30 a 39 anos. Em relação às mulheres, são quase 18 milhões no banco de dados do Sine, sendo 5 milhões na faixa etária de 18 a 24 anos.

Das vagas ofertadas este ano, a liderança é da função de alimentador de linha de produção, com 3.556 oportunidades, seguido de operador de telemarketing receptivo com 1.248 vagas e do comércio varejista, com 973 postos.

Portanto, as pessoas que estão desempregadas, apesar de o momento ser desfavorável, podem encontrar na intermediação do Sine um caminho, a abertura de uma porta que as levarão a uma empresa que continua a acreditar nesse país e que tem na produção a certeza da retomada do crescimento e, por consequência, do emprego.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte