Cidades | Espiritualidade

Simpósio discute relação entre saúde e espiritualidade

Evento foi promovido pela Associação Médica Espírita do Maranhão. Debates mostram que a espiritualidade tem sido cada vez mais estudada no que se refere às suas relações com a saúde humana
06/05/2017 às 13h00
Simpósio discute relação entre saúde e espiritualidadePresidente da AME palestra durante simpósio sobre espiritualidade e saúde (Flora Dolores / O ESTADO)

SÃO LUÍS - A relação entre saúde e espiritualidade foi o principal foco das discussões presentes no simpósio promovido nesse sábado, dia 6, pela Associação Médica Espírita do Maranhão (AME). O evento, realizado no auditório Fernando Falcão, da Assembleia Legislativa, em São Luís, levou para o público presente debates sobre as influências que as doenças físicas exercem no bem estar da alma das pessoas e vice versa.

Essa foi a segunda edição do Simpósio de Saúde e Espiritualidade promovido pela (AME). As atividades começaram durante a manhã e se estendem ao longo da tarde, com a presença de palestrantes locais e de outros estados.

Discussões
Os mais recentes debates sobre a temática estão mostrando que a espiritualidade tem sido bastante estudada no que se refere às suas relações com a saúde humana, tanto que a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem aprofundado bastante as investigações sobre o assunto, principalmente enquanto constituinte do conceito multidimensional de saúde.

O objetivo é que todos tenham em mente que trabalhar a questão espiritual não é algo que se faça apenas dentro de um templo, centro espírita ou igreja, mas que vai servir durante o dia a diaCarlos Frias, presidente da AME
Além disso, há registros de que a grande quantidade de trabalhos publicados na literatura americana incentivou as escolas médicas a incluírem em suas grades curriculares disciplinas que introduzem o tema Espiritualidade. É por essa razão que a temática está sendo reconhecida como um fator que contribui para a saúde do ser humano.

Temas como a reencarnação e o desenvolvimento de doenças na vida atual; a influência que a forma de pensar exerce sobre a cura de uma determinada enfermidade; e a visão espírita na doação de órgãos são alguns dos debates realizados no simpósio.

“Observamos em trabalhos científicos que a fé e a crença mudam completamente a evolução da doença nos indivíduos. Essa mesma forma de pensar, de religiosidade e espiritualidade influencia no corpo físico”, destacou o presidente da AME, Carlos Frias.

Ainda em sua opinião, a prática espiritual deve ser feita ao longo de todo o dia e não apenas em um determinado momento. “O objetivo é que todos tenham em mente que trabalhar a questão espiritual não é algo que se faça apenas dentro de um templo, centro espírita ou igreja, mas que vai servir durante o dia a dia”, frisou.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte